Logon
Blog

Câncer de próstata: quais as causas, sintomas e tratamento

 

​​​​​

Novembro Azul é o mês da conscientização sobre o câncer de próstata e da importância do diagnóstico precoce para um melhor resultado no tratamento. Este tumor afeta a próstata, uma glândula em forma de amêndoa que fica logo abaixo da bexiga e que envolve a uretra (canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis). 

 

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), este é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens no Brasil. O Dr. Carlos Dzik, oncologista do Hospital Nove de Julho destaca que “é importante ressaltar que a função da próstata é a de produzir o líquido seminal que nutre os espermatozoides, produzidos pelos testículos e guardados nas vesículas seminais, que ao se contraírem, eliminam estes espermatozoides durante a ejaculação".

 

No decorrer da vida, as células de nosso organismo são multiplicadas e naturalmente substituídas. Vão as antigas e entram as novas. Desta forma, os tumores surgem devido ao crescimento desordenado de células, podendo ser malignos ou benignos.

 

O câncer de próstata é um tumor maligno que se forma na idade adulta e que pode ter crescimento mais ou menos indolente, mas que em certas situações pode apresentar um comportamento agressivo com disseminação para o restante do corpo, fenômeno este que chamamos de metástase.

 

Nessa edição, o Dr.Carlos Dzik explica quais são os principais sintomas, fatores de risco e como é feito o tratamento. Saiba mais!

 

Quais os principais sintomas do câncer de próstata?

 

Em geral, o câncer de próstata é assintomático em grande parte de sua história clínica no paciente que o desenvolve. Podemos dizer que, a maioria, senão todos os sintomas urinários da meia idade em diante, se devem a um crescimento das partes internas da glândula prostática, ao redor da uretra e que causam uma dificuldade progressiva na micção do homem, sobretudo em sua terceira idade.

 

O jato urinário se torna mais fino, a urina demora mais para sair, o homem às vezes sente que não consegue esvaziar totalmente a bexiga, entre outros. São os sintomas da chamada Hiperplasia Benigna da Próstata que de certa forma acompanham o envelhecimento normal do homem e que, em casos mais intensos, pode prejudicar a qualidade de vida ou mais raramente causar doença.

 

O câncer de próstata quando produz sintomas, estes são causados, em geral, pela disseminação da doença no corpo em forma de metástases, que podem causar dor, emagrecimento, anemia, enfim sintomas de uma doença disseminada. Podem também eventualmente causar sintomas de obstrução urinária, mas isso é bem mais raro.

 

 

Quais as principais causas do câncer de próstata?

 

Embora não seja possível determinar uma causa exata para o câncer de próstata, existem fatores de risco que podem contribuir para o surgimento da doença. Conheça os principais:

 

▪Idade: pessoas com idades mais avançadas têm mais risco de desenvolver a doença. No Brasil 9 em cada 10 homens diagnosticados têm mais de 55 anos.

 

▪Histórico familiar de câncer de próstata ou de certos tumores na família, que conjuntamente identificam uma condição de predisposição hereditária ao câncer. Embora isso represente a minoria dos casos de câncer em geral, e também do câncer da próstata, a existência desta realidade deve sempre ser lembrada aos médicos clínicos, responsáveis pelos cuidados preventivos da saúde.

 

▪Obesidade e sobrepeso: há maior incidência de câncer de próstata nos homens com peso elevado.

 

O câncer de próstata surge principalmente a partir da 6a década de vida. Com o advento do rastreamento do PSA um número maior de casos tem sido diagnosticado.

 


Como prevenir o câncer de próstata?

 

Um estilo de vida saudável é importante para a prevenção ou o retardamento do aparecimento de diversos tipos de câncer e também do desenvolvimento de doenças crônicas. Confira como tornar o dia a dia mais saudável:

 

▪ Ter uma alimentação saudável – rica em frutas, legumes, verduras, cereais integrais e grãos, pouca gordura;

▪ Ficar atento ao peso corporal e evitar o sobrepeso;

▪ Não fumar;

▪ Evitar o consumo excessivo de bebida alcoólica;

▪ Praticar atividade física.


Como se faz o diagnóstico do câncer de próstata?

 

A existência de um câncer na próstata torna-se suspeita quando há elevação anormal dos exames de PSA, isoladamente ou principalmente quando se associa à detecção de um nódulo prostático no exame digital da próstata feito através do toque retal. Ás vezes a elevação do PSA pode também acontecer em condições de Hiperplasia Benigna da Próstata, sem câncer. Da mesma forma pode também haver a presença de um câncer com um valor de PSA próximo do normal, embora essa ocorrência seja bem mais rara. Por isso, a importância da participação do urologista no acompanhamento da saúde do homem. Quando há suspeita, então, pelo PSA ou toque retal alterados, procede-se à realização de uma biópsia prostática guiada por ressonância magnética ou ultrassonografia.

 

 

 

Qual o tratamento indicado?

 

 

A principal indicação de tratamento quando o câncer está localizado somente na próstata é a cirurgia oncológica, radioterapia ou a prática de observação vigilante, em casos bem específicos a serem avaliados pelo médico.

Já quando o caso é metastático, ou seja, no qual o câncer da próstata se espalha por outros órgãos, o tratamento poderá ser apenas hormonal, em casos selecionados em combinação com a radioterapia da próstata. A escolha terapêutica a ser adotada é avaliada pelo médico de forma individual, considerando as particularidades do paciente.

O Dr. Carlos Dzik explica que: “No tratamento do câncer de próstata localizado atualmente existe a opção da cirurgia robótica, que tem a vantagem de ser menos agressiva e mais rápida na alta do paciente, assim como apresenta menores chances de sequelas. Em relação ao tratamento do câncer de próstata disseminado podemos citar dois tipos importantes de inovação. O primeiro é a existência de tratamentos mais modernos tais como o radio farmacológico utilizando Medicina Nuclear com injeção de fármacos que levam radiação diretamente às metástases. O segundo é o advento da chamada Oncologia de Precisão, ou Medicina Personalizada, que através de exames laboratoriais genéticos e moleculares pode trazer modalidades e medicamentos que são específicos e mais eficientes para certos casos".

 

O médico acrescenta ainda que no caso da cirurgia da retirada da próstata, em geral os pacientes estão de volta às suas atividades em 10 a 15 dias. Em relação às sequelas deste tratamento existe uma chance pequena de incontinência urinária que tem sido cada vez menor com a robótica e tem diferentes modalidades de tratamento. Além disso, existe o risco de disfunção da ereção, que aumenta conforme a idade do paciente.

 

“Em linhas gerais podemos dizer que nos casos de doença localizada, o que é a maioria, ao redor de 70% dos tumores são curados. Nos casos de doença disseminada não podemos ainda falar em cura, mas sim em aumento de sobrevida e de qualidade de vida".

 

Saiba mais sobre os mitos e verdades sobre o câncer de próstata​


Veja mais