​Os sintomas podem assustar: fala embaralhada, perda dos movimentos na face, coordenação motora limitada ou dor de cabeça súbita. Caso você sinta algum desses sintomas, fique alerta! Pode ser um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Segundo o Dr. Rafael Paternò, coordenador do Pronto-Socorro de Neurologia do H9J, a doença é uma das principais causas de morte no Brasil. “Segundo a organização Mundial de AVC (World Stroke Organization) Uma em cada seis pessoas podem ter AVC ao longo da vida. Em 90% dos casos, porém, o problema pode ser evitado com hábitos mais saudáveis”.

A doença pode lesar partes do cérebro e pode ser de duas maneiras: AVC isquêmico, obstrução de uma artéria que impede a passagem do sangue; AVC hemorrágico, quando um vaso na região do cérebro se rompe e causa hemorragia.

Os AVCs podem causar sequelas definitivas que comprometem a qualidade de vida como limitações motoras e da fala ou mesmo a morte. Para ajudar a evitar a piora do caso, o especialista conta que a técnica chamada SAMU pode ser eficaz. O método é um passo a passo a ser seguido pela pessoa que você suspeita que esteja tendo o AVC. Funciona assim:

"SAMU"

Sorria: Peça para a pessoa que está com os sintomas do AVC sorrir. Caso um dos lados do rosto não se movimente ou fique torto, pode ser indicada uma investigação imediata.

Abrace: Abrace a pessoa e note se ela consegue te abraçar de volta. Fique atento caso ela não consiga levantar algum dos braços ou que eles caiam abruptamente.

Música (mensagem): Fale um trecho de uma música ou uma frase qualquer e peça para a pessoa repetir. Caso haja alguma dificuldade, ela pode estar em vias de um AVC.

Urgência: Caso um ou mais desses sinais aconteça, o paciente deve ser levado para atendimento médico de urgência.

Além do uso dessa técnica, o Dr. Paternò explica que que é essencial para tentar evitar a doença é manter uma vida saudável e controlar a pressão arterial. “Com a pressão controlada, os riscos de AVC podem ser reduzidos drasticamente. Esse controle evita que os vasos fiquem lesionados e, consequentemente, menos sensíveis ao entupimento”. Além da hipertensão, o especialista reforça que o controle do diabetes e dos níveis de colesterol, também ajudam a prevenir os riscos de um AVC.

Tratamento

O tratamento da doença depende da gravidade da lesão. No tipo isquêmico, é feita a dissolução (com medicamentos) ou a retirada endovascular do trombo (coágulo) que está impedindo a liberação da passagem de sangue nos vasos. O médico explica que esse tipo de procedimento é indicado para casos identificados em até quatro horas e meia a partir do início dos sintomas; a retirada intravascular do trombo pode ser feita em 6 horas e, em algumas situações, em até 24 horas. Já o tratamento do AVC hemorrágico acontece com a drenagem cirúrgica do sangue ou não.

A confirmação do tipo de AVC é realizada por meio de exames de imagens específicos, como a tomografia, ressonância ou angiografia dos vasos cerebrais. “O AVC acontece subitamente, e a partir daí cada minuto é importante para o resultado final. É imprescindível um serviço de emergência organizado e preparado para um atendimento ágil” conclui o Dr. Paternò.

Para marcar consult​as e exa​mes, ligue para 11 3147-9430.