Logon

Oncologia (adulto e infantil)

​​Oncologia é a especialidade médica que trata de tumores malignos e benignos.

O que é o câncer?

É uma doença caracterizada pelo crescimento descontrolado das células de órgãos ou tecidos.

Quais os principais tipos de câncer?

Os mais incidentes são de pele, mama, próstata, pulmão, intestino e os hematológicos - também conhecidos como não sólidos, linfomas, leucemias e mielomas.

Qual o médico especialista nesta doença?

É o oncologista, cuja atuação vai desde a prevenção e diagnóstico inicial até o seguimento dos pacientes já tratados. No caso dos cânceres hematológicos, os profissionais são os onco-hematologistas.

Como é o tratamento?

O tratamento, segundo a Dra. Mariana Laloni, coordenadora do Centro de Oncologia do Hospital 9 de Julho, depende do tipo de tumor, do tamanho e do grau de malignidade. "O tratamento também varia de pessoa para pessoa", informa. Podem ser adotados procedimentos como cirurgia para retirada do tumor, quimioterapia, imunoterapia, terapias alvo, hormonioterapias e, em alguns casos, a radioterapia.

O que é a quimioterapia?

É o método que utiliza medicamentos, chamados quimioterápicos, são drogas que interrompem a duplicação das células. No Hospital 9 de Julho, os pacientes têm à disposição o Centro de Infusão, local onde estes tratamentos são realizados.

Todas as pessoas com câncer precisam fazer quimioterapia?

Depende do tipo e tamanho do tumor e do estágio da doença. A quimioterapia pode ser utilizada em combinação com a cirurgia e a radioterapia. De acordo com as suas finalidades, a quimioterapia é classificada em: Curativa, Adjuvante (complementar ao tratamento cirúrgico ou radioterápico), Neoadjuvante realizada antes do tratamento curativo cirúrgico ou radioterápico e Paliativa aumentar o tempo e qualidade de vida do paciente.

O que é a imunoterapia?

Ao contrário da quimioterapia, que mata as células do organismo e dificulta ou impede a sua reprodução, a imunoterapia ativa o nosso próprio sistema imunológico. A partir disso, células do nosso próprio sistema de defesa passam a reconhecer que a célula tumoral é uma célula estranha (com defeito) e ativam o sistema para destruir as células tumorais.

​Embora esse tratamento seja relativamente novo, ele já está sendo usado no Brasil em algumas patologias como o melanoma e o câncer de ​pulmão e rim. "Algumas pesquisas apontam que a imunoterapia tem trazido ótimos resultados, principalmente para cânceres de pulmão, rim e melanoma. Uma das principais vantagens da sua adoção é que, mesmo após o fim do tratamento, a imunidade do paciente pode continuar respondendo a células tumorais, diminuindo a recidiva de tumores aumentando o tempo livre de progressão da doença", afirma a Dra. Mariana Laloni, coordenadora do Centro de Oncologia do Hospital 9 de Julho.

​Quais exames são necessários para detectar o câncer?

Os principais exames são os de imagem como ultrassom, tomografias, ressonância magnética, cintilografia e o PET/CT oncológico – método que permite avaliação metabólica da neoplasia. Há casos em que o exame de sangue pode ajudar no rastreamento da neoplasia. Como é o caso do PSA, por exemplo, para câncer de próstata.

Para os tumores sólidos, normalmente, o médico tem a confirmação do diagnóstico após a realização de uma biópsia.

​ 

Câncer de bocaCâncer de intestino
Câncer de garganta
Câncer de mama ​​
Câncer de ovárioCâncer de peleCâncer de próstataCâncer de útero​

Veja também

Rua Peixoto Gomide, 545 - Fone: (11) 3147-9999
Cerqueira César - São Paulo - SP - CEP 01409-902
2017 © Todos os direitos reservados
Feito com pela Mult-Connect