Logon
Blog

Rosa e Azul - Campanha reforça importância da detecção precoce do câncer de mama e de próstata

Leia mais e tenha informações seguras sobre saúde.

​​​​​​Todo ano é a mesma coisa, ouve-se falar muito sobre outubro rosa e depois sobre o novembro azul, mas o assunto merece todo esse engajamento. A cada ano 57 mil novos casos de câncer de mama são descobertos no Brasil segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA). No caso do câncer de próstata, as estatísticas revelam que 1 a cada 6 homens terão o diagnóstico da doença. Nos dois casos, há uma notícia positiva: quando detectados no início, a doença tem grandes chances de cura. Portanto, enquanto esses números não baixarem, temos muito o que falar sobre o assunto.

O lado rosa da prevenção
O câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil. A maior incidência ocorre após os 35 anos, mas é mais comum após os 50 anos.   Segundo a Dra. Mariana Laloni, coordenadora do Centro de Oncologia, por este motivo, o exame de mamografia  é indicado a partir dos 40 anos. "Outros exames como o ultrassom de mama e a Ressonância Magnética também podem ser indicados", complementa a médica.

​Fatores de risco

A maior parte dos casos se manifesta em mulheres sem histórico familiar de câncer de mama. Entretanto, o fato de ter alguém na família com a doença pode incluir a paciente em um grupo de maior risco e, portanto, a paciente terá de ter um controle rigoroso com mastologista ou ginecologista. "Nesses casos, o controle anual por meio de exames como mamografia, ultrassom das mamas e ressonância magnética deve começar antes dos 40 anos", explica a Dra. Mariana.

Apesar de a causa ainda não ser totalmente conhecida, acredita-se que a prevenção do câncer de mama se dá com uma alimentação saudável que inclui fibras, frutas e verduras e atividade física regular. "Estudos mostram que quem tem um hábito de vida saudável tem menor chance de desenvolver o câncer", afirma a médica.  Controlar o peso e evitar o consumo abusivo de bebidas alcoólicas também são recomendações.

​​​Exames

A mamografia é um exame eficaz para detectar lesões iniciais e não palpáveis.  Além da mamografia, outros exames complementares podem ser necessários dependendo da idade da paciente, do tipo de lesão e história familiar como a ultrassonografia e a ressonância magnética das mamas. 

"Todas as lesões suspeitas devem ser investigadas", informa a médica.

As biópsias de tecido normalmente identificam qual tipo de lesão com segurança. Para as lesões com diagnóstico positivo de malignidade, um segundo exame será realizado no material coletado. Além disso, hoje é possível a avaliação genética do tumor – assinatura genética. Esse exame é realizado no material retirado na cirurgia evidenciando uma classificação de risco da neoplasia.

​​​Sintomas

A realização dos exames de rotina é especialmente importante pois na maioria das vezes, os pacientes com câncer de mama não apresentam sintomas. Quando eles surgem, podem ser por meio de alterações na pele das mamas, que pode ficar com aspecto semelhante à casca de laranja.

Outro sinal de alerta é quando há secreção pelos mamilos. Em alguns casos há nódulos palpáveis nas mamas ou nas axilas, acompanhados ou não por dor.

O autoexame preventivo é um importante aliado no diagnóstico precoce do câncer de mama e deve ser feito uma vez por mês, na semana seguinte ao término da menstruação. Mas, lembre-se: o autoexame preventivo não é diagnóstico e não substitui a consulta com o mastologista e nem os exames de rotina como a mamografia.​

​​Tratamento

O tratamento da doença geralmente é feito por meio de cirurgia e complementado com sessões de quimioterapia, hormonioterapia, uso de anticorpos contra a oncoproteína Her 2 e, em alguns casos, de radioterapia. No entanto, segundo a Dra. Mariana, o câncer de mama pode ter comportamento diferente em cada mulher. "Por isso, nem sempre o tratamento é igual para todas", diz.​ 

Próstata – com cuidado o futuro pode ser azul
O câncer de próstata​ não causa sintomas nos estágios iniciais, por isso os exames de detecção precoce da doença são importantes de ser realizados, mesmo quando o homem não sente nada. 

O câncer de próstata atinge principalmente homens acima dos 45 anos. A chance de um homem ter câncer de próstata é de 18%, ou seja, 1 em cada 6 homens terá este diagnóstico. Homens com parentes de primeiro grau com câncer de próstata (pai/tios ou irmãos) tem o dobro de chance de desenvolver a doença.

​Além do exame de toque, o urologista pode usar outros exames complementares na avaliação da próstata, como o PSA (exame de sangue), ressonância magnética, ultrassonografia (exames de imagem) e a biopsia (retirada de fragmentos). "A forma de diagnóstico é definida pelo médico de acordo com cada caso", afirma o Dr. Rafael Coelho, urologista e cirurgião especialista em robótica do H9J. 

O médico acrescenta que a ressonância magnética pode ser um exame indicado para casos em que o PSA ou do toque estarem alterados. Os exames de próstata são recomendados para homens a partir dos 50 anos, sendo que homens negros ou com parentes de primeiro grau com câncer de próstata devem começar os exames aos 45 anos.

Diagnóstico precoce aumenta chances de cura do câncer de próstata

O diagnóstico precoce aumenta as chances de cura do paciente com câncer de próstata. Segundo o Dr. Rafael Coelho, urologista e cirurgião especialista em robótica do H9J, para pacientes com câncer em estágio inicial, tratados com cirurgia, a sobrevida em 15 anos pode chegar a 99% e, nos casos mais avançados, este número vai a 70%.

O médico afirma que a maior parte dos pacientes com câncer de próstata é candidato ao tratamento cirúrgico. "Porém em alguns casos a cirurgia pode não ser possível nem desejável".

​Tipos de tumores
Os tumores de próstata são divididos, basicamente, em dois grupos: localizados e avançados. Localizados: estão em um estágio mais inicial e respondem muito bem aos tratamentos.  Avançados: podem já ter atingido outros órgãos ou se espalhado para o sistema linfático e ossos (metástases). "Nesses casos, é possível um grande aumento de sobrevida com o tratamento adequado".  

Tratamento
Existem novas medicações para o tratamento hormonal e radio fármacos para casos avançados do câncer de próstata. "Para os casos de câncer localizado as melhores opções continuam a ser os tratamentos locais como a cirurgia". 

O maior acesso aos tratamentos cirúrgicos minimamente invasivos, especialmente a cirurgia robótica que já é o padrão nos Estados Unidos está disponível no Hospital 9 de Julho desde 2012. Entre as vantagens da cirurgia robótica estão o menor tempo de internação, menor risco de sangramento e possibilidade de um retorno mais rápido às atividades.​

Até 15% dos tumores de próstata só são detectados por exame de toque

Por preconceito e, às vezes, receio, muitos homens deixam de ir ao urologista fazer os exames de rotina. O que eles mais temem é fazer o exame de toque. Mas segundo o Dr. Luiz Botelho, urologista do Centro de Medicina Especializada (CME), este exame é fundamental para o diagnóstico de câncer de próstata. E alerta: "até 15% tumores de próstata só serão diagnosticados através deste exame".

O exame é utilizado pelos urologistas como um complemento ao PSA (proteína produzida pela próstata) colhido pelo sangue. A ressonância magnética e a biópsia também podem ser importantes, dependendo do caso. 

O médico afirma, no entanto, que cada paciente é único e a avaliação realizada pelo urologista é fundamental para a tomada de decisão sobre quais exames serão solicitados para o rastreamento do câncer de próstata e quando eles devem ser realizados. ​

E complementa que a consulta com o urologista pode também diagnosticar outras doenças como: hiperplasia benigna de próstata, impotência sexual, infertilidade , cálculos renais, entre outras. 


​​Agendamento​


​Para marcar consult​as e exa​mes, ligue para 11 3147-9430.​


​​​​

Veja mais