Logon
Blog

Pedras nos rins: entenda a importância de se hidratar no verão

Leia mais e tenha informações seguras sobre saúde.

​Ao longo da vida você provavelmente já ouviu alguém dizendo que a dor da pedra no rim é a pior que já sentiu ou uma mulher comparando a cólica renal à dor do parto. Se você ainda não passou por isso e, obviamente, não quer experimentar tal desconforto, continue lendo esta matéria para entender como evitar a formação dos cálculos renais. Nossas sugestões de prevenção também são úteis para quem já sofreu com essa dolorosa enfermidade, que tende a se tornar ainda mais comum durante o verão, época em que o corpo perde mais líquido do que o normal.

Por que o risco de pedras nos rins aumenta no verão?
O verão costuma trazer consigo a diversão de dias na praia, bons momentos na piscina e churrascos com pessoas queridas, entre outras atividades ao ar livre. Mas como nem tudo são flores, nessa época do ano também aumentam os riscos de desenvolver pedras nos rins.

Esse quadro – também conhecido como litíase renal – se manifesta quando a urina se torna muito concentrada (em razão da baixa ingestão de líquidos), o que cria um ambiente favorável para que os sais e minerais nela presentes se cristalizem, formando cálculos. Em condições normais, a água consumida no dia a dia é suficiente para balancear a perda de fluidos natural do organismo e promover uma limpeza nos rins e nas vias urinárias, diluindo as cristalizações. Porém, nos meses de mais calor, a tendência é que percamos ainda mais líquido corporal pelo suor, de forma a interromper esse equilíbrio de água, sais e minerais na urina, o que estimula a ocorrência de pedras nos rins.

"Os cálculos renais são perigosos. Além de ser uma experiência muito sofrida, pode prejudicar passeios e viagens – imagine uma cólica renal durante um voo de avião! Fora isso, o rim não pode permanecer obstruído por muito tempo, pois corre o risco de desenvolver lesões irreversíveis e ter sua função prejudicada, até mesmo o perigo de perda da função desse órgão de forma definitiva. Uma infeção de urina associada a uma pedra no ureter pode ser extremamente grave também", destaca o Dr. Fabio Vicentini, responsável pelo Centro de Cálculo Renal do Hospital 9 de Julho.

O que causa as pedras nos rins?
A maior parte dos cálculos renais é composto por cristalizações de oxalato de cálcio, ácido úrico ou fosfato de cálcio. Com base nisso, em muitos casos, as causas da formação de pedras nos rins podem estar relacionadas com os hábitos alimentares do paciente em questão, que podem ser voltados para o consumo dessas substâncias, ainda que ele não saiba. Para se prevenir das pedras nos rins é importante evitar:

preparações açucaradas e o consumo do próprio açúcar em si;

excesso de carne vermelha, peixes e frutos do mar;

baixa ingestão de frutas e vegetais antioxidantes;

dieta muito rica ou muito pobre em cálcio;

comidas elaboradas com muito sal;

pouca ingestão de líquidos.

O que fazer para aliviar a cólica renal?

cólica renal muitas vezes pode ser insuportável, daí a importância de saber o que fazer para aliviar a dor das pedras no rim.

"A dor típica da cólica de rim aparece de forma súbita, em geral na região lombar, de um dos lados, podendo irradiar para a região da bexiga. Pode ser associada com náuseas e vômitos. Acontece em geral quando uma pequena pedra, que estava "quieta" no rim, se move para sair e entope o ureter, o pequeno canal que leva a urina do rim para a bexiga. A dor é um sinal de entupimento do ureter e do rim. Pode aparecer a qualquer momento do dia e em geral leva o paciente ao pronto-socorro por ser muito intensa. Dores leves podem ser tratadas com analgésicos comuns, mas é essencial saber a causa, pois outras doenças podem gerar dores fortes também", explica o médico do H9J.

Tratamento para o cálculo renal
"Cerca de 80% dos cálculos renais podem ser eliminados espontaneamente, sobretudo os menores que 5 mm, pela ingestão diária de água", reitera o especialista em urologia. Para os demais casos que requerem tratamento, ele pontua que as opções oferecidas no Hospital 9 de Julho incluem:​

tratamento endoscópico dos cálculos com a utilização de laser - procedimento sem cortes, com alta chance de resolução e baixa taxa de complicações;

cirurgia renal percutânea - procedimento reservado para cálculo grandes em que, através de uma pequena incisão de 1 cm no flanco, se realiza o tratamento dos cálculos;

investigação da causa da formação do cálculo, podendo, assim, ser realizada a prevenção efetiva de novos episódios.​

"Os tratamentos estão cada vez menos invasivos e causam menos complicações. Além disso, a conscientização sobre a prevenção tem avançado bastante, o que diminui em até cinco vezes as chances de surgirem novos cálculos renais, quando realizada adequadamente. Esse tipo de profilaxia deve acontecer sempre, principalmente, no verão, quando as chances de se formar um cálculo aumentam muito, como já ressaltamos. As pessoas devem se manter bem hidratadas, com a ingestão não só de água pura, como também de outros líquidos, e consumir frutas e verduras, que contêm bastante água. Água de coco e água com limão espremido são ótimas opções. Por fim, vale salientar uma dica importante: observe a cor da sua urina, que deve estar sempre bem clara, próximo do transparente. Esse é o melhor sinal de que se está bem hidratado!", finaliza o Dr. Fábio Vicentini.


​​Agendamento​

Para marcar consult​as e exa​mes, ligue para 11 3147-9430.​

Veja mais

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Conheça o nosso Portal de Privacidade .