Logon
Blog

Ferida no colo do útero: o que pode ser?

Alteração pode afetar mulheres que estão na fase reprodutiva

​​​​​​Quando se trata de saúde feminina, é comum surgirem questionamentos e preocupações sobre alterações no corpo, especialmente aquelas relacionadas ao sistema reprodutivo. Uma dessas preocupações frequentes é a 'ferida no colo do útero'. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto. 

 Agendar consulta​

Ferida no colo do útero: o que pode ser? 

Trata-se de um termo popular para ectopia, uma alteração normal onde células internas do colo do útero podem se exteriorizar, formando uma área avermelhada ao redor do orifício interno do colo.

É um processo fisiológico comum em mulheres em idade reprodutiva, influenciado por hormônios. A ectopia é sensível e pode sangrar, como durante exames ginecológicos ou relações sexuais, mas frequentemente não apresenta sintomas nem requer tratamento. 

Quais são os sintomas de lesão no colo do útero? 

Ao contrário da ferida no colo do útero, em que uma alteração normal e esperada, as lesões no colo do útero geralmente são causadas por uma infecção vírus HPV (Papilomavírus Humano). Estas são na maioria das vezes assintomáticas, ou seja, não apresentam sintomas.  

A principal forma de detectar essas lesões é por meio de alterações observadas no teste de Papanicolau, um exame ginecológico de rotina. 

Na "ferida" ou ectopia, muitas vezes vemos uma região avermelhada em volta do orifício externo do colo uterino. Já na lesão causada por HPV, só é possível visualizar as alterações com microscópio, no exame chamado colposcopia, onde também se realiza a biópsia para diagnóstico. A olho nu, o aspecto é de um colo normal.  

Quando falamos de câncer de colo do útero, normalmente existe uma massa ou nódulo sangrante ocupando o colo do útero. 

​O que pode causar uma ferida no colo do útero? 

A ferida é uma alteração normal onde células internas do colo do útero podem se exteriorizar. É um processo fisiológico comum em mulheres em idade reprodutiva, influenciado por hormônios.

Já a lesão no colo uterino pode ser causada por uma infecção persistente pelo vírus HPV, transmitido sexualmente.  

É importante ressaltar que, embora muitas pessoas sejam infectadas pelo HPV em algum momento, a maioria delas terá uma cura espontânea da infecção dentro de aproximadamente dois anos, sem que isso leve a maiores consequências.  

Como é feito o diagnóstico? 

O diagnóstico precoce de alterações no colo uterino é realizado pelo teste de HPV associado ao exame de citologia cérvico-vaginal, ou Papanicolau. Ele detecta alterações nas células causadas pelo HPV.  

Ambos são colhidos no colo uterino com uma espécie de escova e espátula. Caso o Papanicolau apresente alguma alteração, a mulher é encaminhada à colposcopia, exame com microscópio que detecta a alteração e realiza biópsia.  

Quais são os riscos da ferida no colo do útero? 

Os riscos associados a uma ferida no colo do útero, especialmente quando se refere a uma área de ectopia do colo uterino, incluem uma maior suscetibilidade à infecção pelo HPV. 

Ferida no colo do útero pode virar câncer? 

Não, uma ferida no colo do útero não se transforma em câncer. No entanto, é importante diferenciar uma "ferida" (ou ectopia cervical) de uma "lesão" no colo do útero.   

As lesões no colo do útero, especialmente as de alto grau, podem progredir para câncer se não forem acompanhadas e tratadas adequadamente. O período de progressão de lesões de alto grau para câncer varia, podendo levar de 5 a 10 anos, embora em alguns casos essa progressão possa ocorrer mais precocemente.  

Qual médico trata a ferida no colo do útero? 

O acompanhamento ideal é realizado com o Ginecologista Oncológico. A Ginecologia Oncológica é uma subespecialidade da Ginecologia.  

Como é feito o tratamento? 

De modo geral, as feridas não necessitam de tratamento. No entanto, quando se trata de lesões de alto grau que podem progredir para câncer, o indicado é a realização de um procedimento cirúrgico conhecido como cirurgia de alta frequência (CAF) ou conização.  

Durante a cirurgia, a lesão é completamente removida, juntamente com uma margem de segurança ao redor dela. Isso é feito para assegurar que todas as células potencialmente cancerígenas sejam eliminadas.  

Prevenção 

A prevenção de lesões no colo do útero envolve medidas como:  

  • Vacinação contra o HPV: o fortalecimento da imunidade contra o vírus do HPV é um dos métodos mais eficazes de prevenção. A vacina é recomendada para mulheres até os 45 anos.  
  • Uso de preservativo nas relações sexuais: O preservativo é uma barreira física que pode reduzir significativamente o risco de transmissão do HPV e de outras infecções sexualmente transmissíveis.   
  • Acompanhamento regular com o ginecologista: essas consultas frequentemente incluem exames preventivos que podem detectar alterações precoces no colo do útero antes que elas possam progredir para condições mais graves. ​


​​ Agendamento​

Veja mais