Logo

Gastroenterologia

3 minutos de leitura

Pedra na Vesícula: sintomas, diagnóstico e tratamentos aplicados

Excesso de colesterol na bile é uma das causas da formação de pedra na vesícula
VC
Dra. Vanessa Cristina do Prado Quelhas - Cirurgiã do aparelho digestivo e proctologista Atualizado em 31/05/2023

Forte dor na parte direita superior do abdômen que se espalha pelas costelas ou tórax é um dos sintomas da pedra na vesícula.  A vesícula é um pequeno órgão que fica abaixo do lobo direito do fígado. Ela desempenha o papel no organismo de guardar a bile, um líquido gerado pelo fígado que faz parte do processo de digestão de gorduras no intestino.

Quando acontece a formação de uma pedra na vesícula, o quadro pode ser silencioso ou então o corpo pode apresentar sintomas como dor, enjoo, entre outros.

A Dra. Vanessa Cristina do Prado Quelhas, cirurgiã do aparelho digestivo e coloproctologista do Hospital Nove de Julho, explica nesse blog quais as causas do surgimento da pedra na vesícula, os sintomas, como é feito o diagnóstico e quando é indicada uma cirurgia. Saiba mais!

 

O que é pedra na vesícula?

A pedra na vesícula é caracterizada pela formação de pequenas pedras dentro do órgão. Elas, normalmente, são formadas pelo excesso de colesterol na bile e aumentam de tamanho, o que prejudica a saída da substância da vesícula e, consequentemente, contribui com o surgimento dos cálculos.

Com uma ou mais pedras formadas, a presença delas pode ser assintomática ou apresentar alguns sintomas como:

  • dor no lado direito abaixo das costelas;

  • vômito;

  • náusea;

  • dor no estômago;

  • dor nas costas;

  • diarreia;

  • falta de apetite;

  • sensação de barriga cheia.

Ao suspeitar do surgimento de pedra na vesícula com o aparecimento desses sintomas, busque o atendimento médico para um diagnóstico correto e tratamento adequado.

O que causa pedra na vesícula?

A pedra na vesícula é causada, em maior parte dos casos, por excesso de colesterol na bile e também pela dificuldade em se esvaziar a vesícula biliar, o que faz com que se forme pequenos cristais que crescem com o tempo.

Existem alguns fatores de risco que aumentam as chances desse acontecimento. As mulheres com mais de 40 anos e as gestantes, por exemplo, têm mais riscos em ter pedra na vesícula. Veja também outros fatores que podem contribuir para o surgimento do quadro:

  • diabetes;
  • alimentação rica em gorduras e carboidratos;
  • pouca ingestão de fibras;
  • sedentarismo;
  • obesidade;
  • pressão alta;
  • tabagismo;
  • uso de anticoncepcionais por muito tempo;
  • aumento no nível de estrogênio;
  • histórico familiar.

Como é o diagnóstico?

Conforme explica a Dra. Vanessa Cristina do Prado Quelhas, o diagnóstico de pedra na vesícula é feito por um cirurgião do aparelho digestivo. “ O ultrassom de abdome total é o exame padrão ouro, ou seja, o melhor exame para fazer o diagnóstico de pedra na vesícula. Em caso de dúvidas é solicitado uma colangiorressonância. Como a dor em faixa no lado esquerdo do abdome pode também sugerir infarto ou dor no peito, dependendo do tamanho dessa dor, pode ser feito um eletrocardiograma para descartar essa hipótese", explica a médica.

É possível prevenir a pedra na vesícula?

Para cuidar melhor da saúde de um modo geral e, inclusive, prevenir o surgimento de pedra na vesícula, veja algumas ações para adotar no dia a dia.

  • Fazer exercícios físicos;

  • Controlar o peso;

  • Manter uma boa alimentação, com menos gorduras e carboidratos;

  • Comer vegetais, frutas, fibras e peixes;

  • Não fumar;

  • Evitar o alto consumo de bebida alcoólica;

  • Manter bons índices de colesterol e a diabetes controlada.

É necessário fazer cirurgia?

Um dos tratamentos para a pedra na vesícula, além da indicação de medicamentos, a mudança de hábitos e uma dieta equilibrada, é a cirurgia para a remoção da vesícula. Este procedimento é indicado quando os sintomas de dor e febre são frequentes, e isso é feito para evitar risco de complicações como, por exemplo, a coledocolitíase ou colangite.

Tratamento no Hospital Nove de Julho

As pedras na vesícula podem ser confundidas com outras doenças, isso porque seu principal sintoma é o desconforto abdominal associado à má digestão. Por isso, é fundamental saber os fatores de risco e investigar o motivo da dor no local para ter um tratamento correto.

O Hospital Nove de Julho conta com especialistas tanto para o diagnóstico como para o tratamento da retirada da vesícula por meio de uma cirurgia robótica.

Para marcar consultas e exames, acesse nossa Central de Agendamento Online.

Escrito por
VC

Dra. Vanessa Cristina do Prado Quelhas

Cirurgiã do aparelho digestivo e proctologista
Escrito por
VC

Dra. Vanessa Cristina do Prado Quelhas

Cirurgiã do aparelho digestivo e proctologista