De acordo com o Ministério da Saúde, 24,3% dos adultos brasileiros sofrem com hipertensão. E o pior: 50% deles não sabem que são hipertensos.

A ausência de sintomas é um dos motivos para o desconhecimento. Abaixo, falamos sobre algumas das dúvidas mais comuns sobre a doença, afinal, a prevenção depende do maior conhecimento sobre o problema.

As mulheres sofrem mais com a hipertensão arterial.

Verdade! A prevalência é mais elevada nos homens até 50 anos, mas depois dessa idade, a situação se inverte. Quanto maior a idade, maior a prevalência de hipertensão nas mulheres. Por isso, quase 60% de mulheres são hipertensas após os 75 anos. Em relação à etnia, as mulheres negras geralmente têm prevalência de até 130% em relação às brancas.

A hipertensão raramente apresenta sintomas.

Verdade. A doença é considerada assintomática e de evolução lenta. Sem o tratamento adequado, podem surgir complicações graves como o infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC) e insuficiência renal crônica terminal.

A pressão alta pode ser controlada somente com alimentação balanceada e exercício físico.

Mito. Mudança de estilo de vida e hábitos saudáveis são recomendados na prevenção da hipertensão em indivíduos com pressão arterial limítrofe. Em pacientes de baixo risco cardiovascular mantém-se uma alimentação saudável, atividades físicas, cessação de tabagismo por seis meses. Se não houver controle, iniciar tratamento medicamentoso. Em pacientes com risco cardiovascular moderado ou elevado, é preciso iniciar logo a medicação e incentivar a mudança do estilo de vida.

Medicamentos para hipertensão afetam o desempenho sexual.

Depende. A disfunção sexual pode ocorrer com o uso de algumas medicações. A boa notícia é que já existem disponíveis medicamentos que não afetam o desempenho sexual. Fale com seu médico.

O álcool aumenta a pressão arterial e deve ser evitado por quem é hipertenso.

Verdade. A ingestão de álcool por períodos prolongados de tempo pode aumentar a pressão arterial. A ingestão de bebidas alcoólicas deve ser de, no máximo, dois copos de cerveja ou duas taças de vinho ou uma dose de bebida destilada (30 mg de álcool) ao dia para homens e a metade disso para as mulheres.

Situações de estresse aumentam a pressão arterial.

Verdade. Fatores psicossociais, econômicos, educacionais e estresse emocional participam do desencadeamento e da manutenção da hipertensão e podem funcionar como barreiras para a adesão ao tratamento e mudança de hábitos.

As informações não substituem o acompanhamento de um médico. Se a pessoa tem casos de hipertensão em parentes de primeiro grau, se possui alguns dos problemas relacionados neste texto (tabagismo, alcoolismo etc), é importante buscar avaliação médica.

{{cta('06e86e7e-0e84-4763-8de6-8a0a3936ee02')}}