O sistema nervoso, responsável por nos fazer pensar, andar, digerir alimentos, sentir dor, frio, calor, possui uma estrutura complexa. Muito além dos neurônios, nós possuímos estruturas nervosas que fazem com que esses comandos circulem pelo corpo. Neste mês de maio, vamos falar sobre alguns dos exames que ajudam a diagnosticar doenças que atrapalham essa troca de informações com o cérebro.

Pessoas que sentem fadiga muscular excessiva, dormência ou queimação, principalmente nas pernas, braços e rosto podem estar com algum problema nos nervos periféricos, assim chamados por estarem nas extremidades do corpo.

Nestes casos, o médico pode solicitar a Eletroneuromiografia, que analisa a atividade muscular e dos nervos da região a ser investigada. O exame é simples: o médico faz estímulos elétricos fracos e também coloca agulhas como as de acupuntura no paciente, por onde passam estímulos elétricos que avaliam o grau se a área investigada está ou não com atividade do nervo, músculo e neurológica normal.

“Entre as doenças que o exame avalia estão Esclerose Lateral Amiotrófica, síndrome do túnel do carpo, paralisias dos membros superiores e inferiores de diversas etiologias e Polineuropatia. Se bem indicado, o procedimento pode fazer a diferença na forma como o tratamento será conduzido pelo neurologista, ortopedista e demais especialistas”, explica o Dr. Cleber Dal Alba, neurofisiologista responsável pelo procedimento no Hospital 9 de Julho.