Carnaval é época de muita festa, diversão, folia... e sexo. Por isso, é comum vermos diversas campanhas veiculadas neste período alertando sobre a importância de usar camisinha e tê-la sempre à disposição.

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo Ministério da Saúde informa que o número de casos de Aids entre jovens com idade entre 15 e 24 anos aumentou 40% desde 2006. Estima-se ainda que 300 mil pessoas no Brasil tenham a doença e não saibam.

Outra pesquisa, também do Ministério da Saúde, aponta que 94% dos brasileiros sabem que a camisinha é a melhor forma de prevenir as DSTs, mas, mesmo assim, 45% da população sexualmente ativa não usou preservativo em relações sexuais nos últimos 12 meses.

No Carnaval, o “calor do momento” fala mais alto, principalmente quando o ato sexual está associado ao consumo de bebidas alcoólicas, por isso as chances de que uma relação ocorra sem proteção é maior.

Muito além da Aids, o preservativo protege contra uma série de doenças sexualmente transmissíveis e ainda evita a gravidez indesejada. Abaixo, compartilhamos informações sobre nove delas, que mostram como vale a pena optar por uma relação protegida.

Vaginose bacteriana

A vaginose bacteriana resulta da interação entre diversos tipos de bactéria. Os sintomas podem envolver coceira vaginal, dor ao urinar e corrimento com odor forte.

Clamídia

Também causada por bactéria, a clamídia afeta tanto o homem quanto a mulher. Ela é conhecida como uma doença “silenciosa”, pois os sintomas raramente se manifestam. Eles incluem corrimento vaginal anormal, queimação ao urinar, sangramento, mas podem chegar a extremos como infertilidade feminina.

Herpes Genital

Causada por um vírus, o herpes genital não tem cura (o portador do vírus o carrega para sempre e pode manifestar sintomas com maior ou menor frequência), mas tem tratamento. Quando se manifesta, se parece com o herpes comum, por meio de erupções, caroços ou bolhas que se rompem formando feridas. Isso pode ser muito doloroso e desconfortável.

Gonorreia

A gonorreia pode causar sérias complicações. Os principais sintomas são sensação de queimação ou dor ao urinar (aliada à necessidade frequente de urinar), corrimento turvo vaginal ou peniano, dores de estômago, dor nos testículos e inflamação anal ou retal.

Hepatite B

A Hepatite B é uma infecção perigosa, que pode evoluir, em alguns casos, para cirrose hepática ou câncer do fígado. Seus sintomas são similares a outros tipos de hepatite, como febre, dores de cabeça e musculares, cansaço, perda de apetite, vômitos, diarreia e a apresentação de cor amarelada na pele e nos olhos – mas os sintomas nem sempre se manifestam.

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), cerca de um terço da população mundial – 2 bilhões de pessoas – já foi infectado pela hepatite B. Deste total, 5% se tornaram portadores crônicos. Para esta infecção, além do uso de preservativo, existe uma vacina que protege contra a infecção, disponível na rede pública para todas as pessoas com até 49 anos de idade.

Sífilis

Esta pode ter sintomas despercebidos e, por isso, ficar mascarada por tempo suficiente para que a infecção cause problemas mais graves. Quando sintomática, podem aparecer lesões nos genitais, erupções na pele, pontos vermelhos nas mãos e pés, febre, perda de cabelo, dores musculares, dor de cabeça e cansaço.

Cancro mole

Causada por infecção bacteriana, o principal sintoma do cancro mole são feridas graves e muito doloridas na região genital. Após a infecção, o corpo pode levar até 15 dias para manifestar as primeiras reações. Além das feridas, dor de cabeça, febre e fraqueza também são sinais da doença.

HPV

O HPV, Vírus do Papiloma Humano, é o principal causador de câncer de colo de útero (o segundo tipo de tumor mais comum entre as mulheres). Os principais sintomas são pequenas verrugas na área genital – mas nem sempre as lesões são visíveis a olho nu, daí a necessidade de exames de Papanicolaou periódicos.

Segundo uma pesquisa recente, cerca de 50% dos homens de São Paulo portam o vírus, mas a doença nem sempre se manifesta, o que facilita a disseminação. Quando ocorre em homens, o HPV pode facilitar a ocorrência de câncer peniano. Também para esta infecção há vacina disponível. No entanto, a vacina só é indicada para crianças e adolescentes, pois deve ser aplicada antes do início da vida sexual.

Aids

A Aids é uma das doenças mais perigosas que podem ser contraídas por contato sexual. A doença é causada pelo vírus HIV e debilita o corpo humano, deixando-o suscetível para outras doenças, que podem se tornar fatais.

Assim como o HPV, não tem cura (mas tem controle) e pode levar até 10 anos para se manifestar. Antes de manifestar os primeiros sintomas, a maioria dos portadores não sabe que está infectada. Por isso, é melhor confiar sempre na camisinha.

Vale lembrar que o uso do preservativo é a maneira mais eficiente de se proteger das doenças sexualmente transmissíveis. No entanto, a proteção não é absoluta: afinal, sexo oral e carícias preliminares também podem expor parceiros e parceiras a várias destas infecções.

{{cta('93bc5525-eaf6-45bf-bd26-23a69fe0cb7c')}}