9 dicas para uma boa dieta de baixa caloria

A obesidade é uma doença e também um fator de risco para uma série de outras doenças como diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares e até mesmo alguns tipos de câncer. A melhor forma de se combater obesidade e o sobrepeso é a combinação de uma dieta hipocalórica com a prática regular de atividades físicas.

Por isso, listamos 9 dicas para tornar a sua dieta mais eficaz e mais fácil de ser seguida, garantindo mais qualidade de vida, seja qual for seu objetivo.

1 – Frequência

Todos já ouvimos dizer que fazer pequenas refeições de três em três horas é o ideal para qualquer dieta. Mas, esta não deve ser uma recomendação universal. Se você é do tipo que belisca muito, organizar um plano alimentar com pequenas refeições frequentes pode ajudar bastante, assim como anotar o que come.

2 – Calma

Experimente alimentar-se com mais calma, mastigando melhor os alimentos, pois isso ajuda o cérebro a ter tempo de “avisar” você quando já estiver saciado. Uma boa forma de controlar a pressa ao comer é repousar os talheres enquanto mastiga e procurar um ambiente tranquilo para se alimentar.

3 – Hidratação

Ingerir água pode ajudar na perda de peso! Tomar meio litro meia hora antes da refeição ajuda você a comer menos. E beber dois litros de água por dia é fundamental para uma boa hidratação. Cuidado com sucos: apesar de naturais, podem ser extremamente calóricos!

4 – Equilíbrio

Uma boa dieta deve conter proteínas, carboidrato e gorduras, de maneira balanceada. Cortar totalmente um grupo nutricional pode funcionar a curto prazo, mas será impossível de ser seguida a longo prazo. Dietas que fogem de um balanço correto podem ser feitas apenas com supervisão de um profissional e por tempo determinado.

5 – Gorduras boas e ruins

Existem gorduras melhores que outras. Gorduras insaturadas, como a do azeite e peixes frios, por exemplo, tem efeitos benéficos (embora, em excesso, também fazem engordar). As piores gorduras são as trans, que vêm sendo eliminadas de produtos industriais, e as saturadas, presentes em carnes gordas, queijos amarelos, manteiga e leite integral. Por isso é bom evitá-las.

6 – Fibras

Fibras são essenciais para o bom funcionamento do intestino. Elas podem ser encontradas em grandes porções em frutas, verduras e legumes, preferencialmente crus. Grãos integrais também fornecem boa quantidade de fibras e ajudam a saciar a fome. A fibra também ajuda no controle de peso, pois dão maior sensação de saciedade.

7 – Sal

Além de favorecer a retenção de líquidos, o sal aumenta a pressão arterial. Por isso, evite salgar demais a comida. Produtos industrializados como catchup, molho de soja e temperos prontos também possuem alto teor de sódio e devem ser evitados.

8 – Temperos naturais

Isso não quer dizer, entretanto, que sua alimentação precisa ser insossa. Utilize temperos naturais para tornar os alimentos mais saborosos: salsa, cebolinha, orégano, coentro, alecrim, manjericão, louro, canela.

9 – Metas

Ter um objetivo pode ajudar na perda de peso, por ajudar na motivação. Metas intermediárias ajudam bastante e podem ser sempre combinadas com seu médico! Mas caso não sejam cumpridas, não é para desanimar! A maioria das pessoas bem sucedidas em perder e manter peso a longo prazo tentou algumas vezes antes de conseguir!

Dr. Bruno Halpern é endocrinologista do Hospital 9 de Julho