Você sabia que mais de 12 milhões de pessoas no mundo são diagnosticadas todo ano com câncer? Em 2018, o Inca (Instituto Nacional de Câncer) atualizou a estimativa de novos para o biênio 2018-2019. O número chega a 600 mil novos casos da doença para cada ano apenas no Brasil, em uma proporção quase idêntica para homens e mulheres.

O câncer de pele não-melanoma continua à frente como o de maior incidência em ambos os sexos – estima-se que por volta de 29% dos casos a serem diagnosticados esse ano sejam desse tipo, o que corresponde a mais de 170 mil ocorrências.

Segundo dados do INCA, se não considerarmos os tumores não-melanoma, o câncer de cólon e reto é o segundo mais frequente em homens na Região Sudeste e o terceiro mais comum nas Regiões Sul e Centro-Oeste. Entre as mulheres, ele é o segundo mais frequente nas Regiões Sudeste e Sul. Estima-se que surjam 17.380 casos novos casos desse câncer entre homens e 18.980 em mulheres para cada ano do biênio 2018-2019.

Esses são números expressivos que não devem passar despercebidos – especialmente se considerarmos que uma boa parte dos casos de câncer pode ser prevenida.

A melhor forma de prevenção é a adoção de um estilo de vida saudável, associado ao acompanhamento médico, com exames preventivos quando for o caso. Abaixo, listamos 9 dicas para manter o câncer afastado.

1. Adote uma alimentação saudável

A alimentação saudável e balanceada é a chave para o equilíbrio e, como tal, deve ser estimulada desde cedo. Frutas, verduras, cereais integrais e leguminosas contém nutrientes necessários para manter o corpo "são" e, principalmente, protegido contra doenças. A ideia é variar ao máximo os alimentos levados à mesa para garantir a variedade necessária de nutrientes.

2. Evite conservantes e alimentos processados

Conservantes como nitrito e nitrato que são adicionados aos produtos industrializados se transformam em substâncias cancerígenas quando metabolizados durante a digestão. Já as carnes processadas contêm hidrocarbonetos policíclicos, substâncias às quais são submetidas no processo de defumação e, ainda, contêm alto teor de sal, sódio e alcatrão.

3. Mantenha o peso controlado

Diversos estudos realizados ao longo dos últimos anos foram categóricos em estabelecer uma relação entre o aumento de peso e casos de câncer de cólon, reto, próstata, ovário, pâncreas, rim, dentre outros. Estima-se que cerca de um terço dos casos de câncer podem ser prevenidos com o controle adequado de peso.

4. Evite bebidas alcóolicas em excesso

Apesar de o álcool não ser uma substância que estimula o surgimento do câncer diretamente, as bebidas alcoólicas podem aumentar o risco da doença de cavidade oral, laringe, esôfago e fígado, dentre outros órgãos.

5. Não fume

Responsável por cerca de 30% das mortes por câncer, o tabagismo tem relação direta com vários tipos de câncer, dentre eles, pulmão, cavidade oral, laringe, faringe e esôfago. O principal deles é o de pulmão: fumantes têm 20 vezes mais chance de ter esse tipo de câncer que os não fumantes.

6. Pratique atividades físicas

Trinta minutos por dia são suficientes para deixar de ser sedentário e para buscar um apoio na prevenção do câncer. Vale lembrar que, além de combater a obesidade, a prática diária de atividade física tem inúmeros outros benefícios para o organismo.

7. Faça check-ups

Grande parte dos tipos de câncer – como o de próstata e o de mama, que possuem alta incidência entre a população brasileira – têm 90% de chance de cura quando detectados precocemente. Por isso, é necessário realizar exames anualmente a partir dos 40 anos (ou de acordo com indicação médica, especialmente para quem tem casos na família).

8. Evite sol em excesso

O câncer de pele não-melanoma é o de maior ocorrência no Brasil. Isso se deve em parte à alta incidência de sol no país e à falta de uso de filtro solar. Por isso, evite exposição ao sol entre 10h e 16h e use sempre proteção adequada como óculos de sol e chapéu nos dias mais quentes. Já o filtro, esse deve ser utilizado todos os dias, em qualquer estação.

9. Vacine-se

Meninos e meninas de até 14 anos de idade devem ser vacinadas contra o HPV (Vírus do Papiloma Humano). A infecção pela doença é considerada comum. Em alguns casos, pode desenvolver lesões precursoras que, se não forem identificadas e tratadas, podem progredir para o câncer - principalmente no colo do útero, vagina, vulva, ânus, pênis, orofaringe e boca. É imprescindível, portanto, seguir o Calendário Nacional de Vacinação para imunizar as crianças contra HPV e outras doenças, como Hepatite B. 



Conteúdo publicado originalmente em 08/04/2016.