​Estamos na era da informação e ainda tem gente que se permite correr riscos desnecessários por falta de itens básicos de segurança, por exemplo, no trânsito. O capacete é um deles. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), quando utilizado, reduz em até 40% o risco de morte, além de diminuir em até 70% o risco de acidentes mais graves na cabeça.    


E aqui está um dos motivos: o Ministério da Saúde aponta que o uso do equipamento pode prevenir cerca de 69% dos traumatismos crânio-encefálicos e 65% dos traumatismos da face. Vale lembrar que ele não deve ser item obrigatório apenas de motociclistas, mas também de quem anda de bicicleta, patinete etc. 

Sintomas

Em caso de acidente, porém, é importante atentar para sinais de um eventual traumatismo craniano. Com isso, será possível chamar atendimento especializado já indicando a gravidade das lesões. Veja aqui alguns dos sintomas:

- Perda de consciência momentânea;
- Irritabilidade;
- Desmaios;
- Náuseas e vômitos;
- Dor de cabeça;
- Sangramento graves na cabeça ou rosto;
- Saída de sangue ou líquido pelos ouvidos ou nariz;
- Fraturas evidentes de crânio;
- Hemorragias intracranianas;
- Sonolência excessiva;
- Confusão, perda de equilíbrio ou fala alterada;
- Alterações visuais.

Caso a vítima apresente estes sintomas:

- Chame uma ambulância, ligando para 192;

- Observe se a pessoa está consciente, se sim, tente acalmá-la até a chegada do médico/resgate

- Mantenha a vítima imobilizada tomando cuidado para não piorar eventuais lesões;

- Em caso de hemorragia, tente estancar com uma ligeira pressão sobre o local, com um pano limpo; 

- Fique ao lado da pessoa e observe-a até a chegada da ambulância. 

Diagnóstico

O diagnóstico completo é feito por um neurologista ou cirurgião do trauma já em ambiente hospitalar, por meio de exames como: tomografia computadorizada ou ressonância magnética. Assim, é possível detectar a existência de lesões, gravidade e localização. 
  

Tratamento

Em casos danos mais leves, podem ser utilizadas injeções anticoagulantes, para evitar a formação de coágulos ou remédios anti-inflamatórios para reduzir a inflamação cerebral. Já nos casos mais graves, como nas fraturas, uma cirurgia pode ser indicada.  

Por isso, divirta-se, só não se esqueça de se proteger com, por exemplo, o capacete. #Ficadica ;-)