Quando falamos de doenças que causam disfunções hormonais, a tireóide é a primeira que nos vem à cabeça. Há, porém, uma glândula no nosso corpo responsável pela produção de hormônios importantes e, muitas vezes, desconhecida: a hipófise. 

O que é a Hipófise?

Você pode ter ouvido falar dela como glândula pituitária. É a grande “chefe” do sistema endócrino, localizada no cérebro, na base do crânio. Apesar de ser do tamanho de uma ervilha, é responsável por produzir e distribuir muitos tipos de hormônios que controlam as funções da tireóide, das adrenais (glândulas responsáveis pela produção de hormônios como a adrenalina e o cortisol, das mamas (lactação), do crescimento, do controle hídrico (equilíbrio entre a água que é ingerida e que é eliminada pela urina) e dos ovários e testículos (responsáveis pela produção de hormônios sexuais).

Causas

As doenças originárias da hipófise são causadas por diversos tipos de tumores na glândula, normalmente, benignos. Esses tumores começam a se desenvolver dentro dela e fazem com que ela comece a produzir hormônios em quantidades anômalas, gerando complicações que variam conforme o hormônio produzido.

Os tumores de hipófise representam cerca de um quinto de todos os tumores cerebrais e podem afetar os hormônios “regidos” pela glândula que são: hormônio do crescimento, prolactina, ACTH, TSH, LH, FSH, ADH e ocitocina.

Ainda não se sabe exatamente porque ocorre esse crescimento irregular das células que causam os tumores da glândula.

Sintomas

Os sintomas variam de acordo com o hormônio secretado.

  • Hormônio prolactina - seu excesso pode ocasionar produção de leite pelas mamas, perda da libido, irregularidades menstruais, infertilidade e alterações ósseas. É o mais comum e, apesar de afetar predominantemente as mulheres, pode ocorrer também em homens, mas raramente leva à produção de leite, nestes casos; 
  • Hormônio ACTH (adrenocorticotrófico) - também é mais comum em mulheres. Atua estimulando as glândulas suprarrenais (ou adrenais), que produzem o cortisol e vários outros hormônios - seu excesso leva à doença de Cushing, em que o paciente desenvolve ganho de peso, alteração menstrual, estrias vermelhas e grossas no abdômen, pernas e braços. Causa hipertensão arterial e diabetes incontroláveis;
  • Hormônio GH (do crescimento) - quando ocorre em crianças e adolescentes, estes crescem além do comum, tornando-se gigantes. Se ocorrer em adultos causa acromegalia, aumento das extremidades - pés, mãos, e queixo, além de alterações cardiológicas graves.
O paciente também poderá sentir dores de cabeça e alterações visuais em casos de crescimento tumoral excessivo, pois a localização da glândula fica em um ponto muito próximo aos nervos responsáveis pela visão.

Fatores de Risco e Prevenção

Não existe prevenção e pessoas com predisposição genética provavelmente irão desenvolver o tumor em algum momento da vida. Deve-se estar atento aos sinais e sintomas relacionados às alterações hormonais e visuais e procurar profissionais capacitados para diagnóstico e tratamento da doença.


Diagnóstico e Exames

O paciente deve informar todos os sintomas para que o médico possa fazer o diagnóstico, que é simples, realizado por meio de ressonância magnética.


Tratamentos

O tratamento pode ser medicamentoso ou cirúrgico, dependendo também do hormônio secretado. Deve ser iniciado rapidamente após o diagnóstico para haver chances de eliminar totalmente os sintomas e diminuir os riscos que causa à saúde.

Cirurgia

O tratamento cirúrgico de tumores hipofisários pode ser realizado por meio de procedimentos minimamente invasivos, em que uma equipe multidisciplinar composta por neurocirurgiões, otorrinolaringologistas e endocrinologistas faz a retirada do tumor com aparelhos endoscópicos de altíssima resolução, sem cortes e com recuperação rápida.

A técnica é muito mais avançada em relação a cirurgia transcraniana convencional. O Hospital 9 de Julho tem especialistas que realizam o procedimento e uma equipe multidisciplinar, liderada pelos neurocirurgiões Dr. Roger Mathias e Dr. Leonardo Giacomini, que apoia o diagnóstico e tratamento.