Para algumas pessoas, esse é um estilo de vida e, para outras, é simplesmente uma escolha alimentar


Nossa alimentação é o que fornece ao corpo a energia necessária para caminhar, pensar, respirar, entre outras funções importantes. No entanto, vale ressaltar que nem todo tipo de preparação alimentícia beneficia o organismo e a saúde, considerando que uma dieta rica em produtos industrializados e ultraprocessados pode aumentar consideravelmente as chances de problemas cardiovasculares, gástricos, além de influenciar os níveis de colesterol e pressão arterial elevados.

A conscientização diante desse cenário tem levado muitas pessoas a priorizarem rotinas alimentares diferentes e por isso, vamos falar sobre uma dessas opções de alimentação: o Crudivorismo, uma dieta baseada no consumo de alimentos crus.


Entenda melhor quais são os ganhos relativos do Crudivorismo


"Vale ressaltar que existem defensores de ambos os lados. Os que preferem os alimentos crus defendem que é uma alimentação natural e menos processada, já os que defendem os alimentos cozidos, afirmam que estariam diminuindo a contaminação bacteriana com o cozimento", pontua a Dra. Maria de Lourdes Capacci, gastroenterologista e nutróloga do Hospital 9 de Julho.

No entanto, nem todos sabem, mas a temperatura utilizada para o cozimento também acaba eliminando muitas das propriedades dos alimentos. Entre esses, citamos as vitaminas C , B6 e B12, que são mais propensas a serem perdidas.

Dessa forma, algumas pessoas começaram a deduzir que ingerir opções cruas pode nos tornar mais saudáveis, uma vez que essa opção garante uma absorção mais completa e eficaz de fibras, vitaminas e nutrientes de uma forma geral.

Além disso, a especialista pontua que a chamada "raw food", isto é, o consumo de alimentos exclusivamente crus, é referida como desintoxicante ao organismo e influencia positivamente na manutenção de um peso corporal adequado (uma vez que é baixa em calorias), podendo ainda diminuir os riscos de doenças metabólicas (como a diabetes), reduzir a hipertensão arterial sistêmica (H.A.S.), prevenir doenças cardiovasculares, além da melhora das doenças inflamatórias intestinais.


O que a pessoa que opta por essa dieta pode ingerir no dia a dia?


·      Frutas frescas

·      vegetais crus

·      Nozes e sementes cruas

·      Grãos e leguminosas crus, germinados ou embebidos

·      Leite de nozes ou de amêndoas

·      Frutas secas

·      Azeite de oliva e óleo de coco prensados a frio

·      Algas marinhas

·      Brotos

·      Ovos crus

·      Preparações baseadas em carne crua ou peixe cru

·      Outros alimentos orgânicos, naturais ou não processados

·      Leite e produtos lácteos não pasteurizados e não homogeneizados.


A ingestão constante de alimentos crus oferece riscos à saúde?


Diante dos benefícios citados, fica a dúvida: o crudivorismo pode ser prejudicial?

"Embora haja diversas vantagens na 'raw food', existem também pontos discutíveis, como a dificuldade de ganhar força e massa muscular e de manter a imunidade, o que influencia diretamente na capacidade de recuperação de doenças. A ingestão de alimentos crus não é indicada aos pacientes hospitalizados ou em recuperação após a alta hospitalar. Os principais riscos à saúde são: anemia, perda de massa magra e falta de ingestão adequada. Eu, particularmente, não recomendaria essa opção para meus pacientes e familiares, por falta de mais estudos aprofundados sobre o assunto", explica a Dra. Maria de Lourdes.

A médica afirma que a ingestão exclusiva de alimentos crus faz com que a pessoa possa ter dificuldade na absorção de determinadas substâncias, como o ferro, por exemplo, pela falta de proteínas animais, como a carne, e pelo uso dos chamados fitatos – substâncias orgânicas encontradas em sementes, grãos e legumes, que influenciam na redução da absorção de ferro e outros minerais nas refeições.

"O consumo frequente de fibratos (sementes), fibras, pectina (ex: maçã, pera), cálcio (ex: leite e derivados), taninos (ex: chás, café) diminuem a absorção de ferro, elevando, assim, as chances de a pessoa desenvolver um quadro de anemia. Existem, porém, alimentos que facilitam a absorção de ferro, como, por exemplo, a ingestão de suco de laranja, limão ou acerola durante as refeições (devido a vitamina C presente nessas frutas).

Portanto, em caso de dúvidas para a ingestão de novos alimentos, sempre consulte o seu médico e desta forma terá uma orientação adequada às suas escolhas e melhora na sua qualidade de vida, finaliza a especialista do H9J.


Agendamento