Você já ouviu o termo conjuntivite de verão? Apesar de ter os mesmos sintomas da “versão tradicional”, ela é diferente nas formas de contágio, que estão diretamente ligadas a alguns hábitos mais comuns durante os meses mais quentes do ano.

Veja como prevenir a doença para aproveitar a estação numa boa!

O que é a conjuntivite?

É a infecção contagiosa da conjuntiva, a membrana que reveste a parte de dentro de nossas pálpebras e uma porção do globo ocular. Ela pode ser provocada por vírus e bactérias, mas também pela exposição excessiva a fumaça e produtos químicos (como cloro de piscina).

A inflamação dura entre sete e 14 dias, e os principais sintomas são irritação nos olhos, vermelhidão, ardência, sensação de que há algo como um grão de areia no globo ocular, lacrimejamento e secreção.

A doença se aproveita muito de alguns hábitos comuns no verão para se espalhar entre as pessoas. Durante os meses mais quentes, é normal ficar fora de casa, passar mais tempo ao ar livre, praticando esportes ou curtindo praias, rios e piscinas.

Isso significa que mais gente começa a frequentar os mesmos locais, e essas aglomerações são propícias para que os vírus e bactérias causadores da conjuntivite se propaguem.

Como evitar a conjuntivite de verão?

É quase impossível evitar totalmente o contato com os causadores da doença, principalmente em praias lotadas e piscinas de clubes. Por isso, o mais importante é ter cuidados de higiene pessoal e controlar algumas manias prejudiciais, como coçar os olhos e esquecer de lavar as mãos sempre que necessário.

Além disso, não compartilhe toalhas, travesseiros, maquiagem e óculos escuros com outras pessoas. E é preciso também evitar o contato intenso com poeira e fumaça de qualquer espécie e observar se há excesso de cloro na água, agentes que podem facilitar a “irritação” dos olhos facilitando o contágio pela doença.

Tratamento

É fundamental consultar um oftalmologista antes de qualquer atitude, só ele pode confirmar o diagnóstico e indicar o uso de colírios, antibióticos ou anti-inflamatórios, pois o uso de colírios inadequados ou da maneira errada pode causar até mesmo glaucoma e catarata.

A conjuntivite pode causar complicações sérias se não for tratada. Por isso, sempre procure um médico ao identificar os primeiros sintomas!

{{cta('f0144d4e-0595-4f1d-8dc6-2be1e25f2611')}}