A tecnologia é uma grande parceira de todos nós. Pense em quantas tarefas foram facilitadas com a chegada de máquinas como computadores, notebooks, tablets, smartphones, além de recursos como e-mail e aplicativos de mensagens.

Tudo isso mudou radicalmente a forma como fazemos diversas coisas, desde conversar com amigos até pedir uma pizza. pesar dos benefícios, o uso recorrente desses tipos de aparelhos pode gerar um problema físico bastante comum atualmente: as lesões por esforço repetitivo.
Hoje em dia, muito se fala sobre a relação entre a utilização intensa de smartphones e o surgimento de tendinite. Mas como isso ocorre? É o que vamos entender ao longo desse texto!
 

O que é tendinite?

A tendinite é uma inflamação em um tendão. Geralmente, vem acompanhada de dores, dificuldade de movimentação e inchaço local. Se não tratada, ela pode se tornar uma lesão mais grave e até causar a calcificação do tendão, o que é um grande perigo para a capacidade de movimento.
A terapia para tendinite, após o diagnóstico, quase sempre envolve o uso de medicamentos para diminuir a inflamação e a dor. A aplicação de bolsas de gelo ou de água quente também é recomendada. Quando o quadro já estiver avançado, o paciente pode precisar de fisioterapia para retomar a força muscular e os movimentos.
 

Mas como ela se relaciona com o uso de celular?

Pessoas que digitam utilizando apenas os polegares fazem um grande esforço com os tendões das mãos para manter a agilidade. Digitar casualmente não é um problema, a verdadeira ameaça ao corpo é o excesso.
Você pode até pensar que o uso abusivo de celular seja algo raro, mas esse é um comportamento mais comum do que você imagina. O brasileiro foi ranqueado em primeiro lugar dentre as nacionalidades que passam mais tempo por dia manuseando esses aparelhos. A média é de incríveis cinco horas diárias!
Vale frisar que esse tipo de lesão começa com uma mialgia (uma dor leve ou moderada nos músculos das mãos). Se não tratada, ela pode evoluir para uma inflamação na articulação do polegar e, por fim, chegar aos tendões.
 

Como evitar a tendinite sem parar de usar celular?

O passo mais importante é diminuir a utilização do aparelho, sem dúvidas, mas uma dica interessante é mudar a forma de digitar. Usar apenas os polegares demanda mais esforço dos tendões e músculos. Ao invés disso, utilize somente o indicador e segure o celular com a outra mão. Pode ser que você passe a escrever mais lentamente desse modo, mas isso trará mais conforto em caso de uso intenso.
Faça algumas pausas, descanse as mãos e alongue os dedos. Tudo isso vai ajudar a relaxar a musculatura e a diminuir o incômodo.
 

Danos além das mãos

Ficar muito tempo no celular não afeta apenas os tendões dos polegares. Os braços, as costas e o pescoço também são impactados por essa movimentação muscular, principalmente se você descuidar da postura enquanto manuseia o smartphone. Sem esquecer, claro, dos olhos, que permanecem horas recebendo diretamente a luz da tela. A tendinite não é um problema fácil de tratar, pode ser bastante dolorosa e atrapalhar seu desempenho escolar ou no trabalho. Controlar o uso do celular, além de ser uma atitude positiva para a mente, é fundamental para evitar dores musculares e inflamações!