É uma doença crônica com múltiplas e complexas causas. Não é simplesmente um problema de excesso de alimentação. Existem fatores genéticos, ambientais, comportamentais, culturais e emocionais que contribuem para o aparecimento desse tipo de distúrbio alimentar. As causas definitivas da obesidade grave são desconhecidas. Mas seja qual for o motivo, o fator determinante é a ingestão de quantidade de alimento maior do que aquela que o organismo pode metabolizar e utilizar, o que leva ao armazenamento do excedente em forma de gordura de reserva. Partindo desse princípio, pareceria simples conseguir-se o emagrecimento: é só comer o quanto o organismo precisa para manter-se saudável. Bastaria determinar quanto isso representa para cada indivíduo. Deve-se lembrar que essa quantidade ideal de ingestão de alimentos é variável para cada pessoa. Manter ou baixar o peso é difícil. É freqüente o indivíduo emagrecer com extrema difi culdade e logo voltar a engordar, em um mecanismo de “sanfona”.