Descoberto em 1984, o vírus HIV é um dos mais graves problemas da saúde humana, mas sua complexidade nem sempre é valorizada quando o assunto é prevenção. 

Responsável por mais de 303 mil mortes no Brasil até 2015, segundo dados do Boletim Epidemiológico de HIV/AIDS, o vírus infectou 136 mil pessoas, de 2007 a 2016, reforçando a urgência da divulgação de informações sobre o tema no país.

Mesmo com as constantes ações de conscientização realizadas pela mídia e por órgãos do governo, muitas dúvidas ainda são recorrentes para o grande público.
 
Confira alguns dos principais mitos e verdades sobre a AIDS e seja você também um agente de conscientização.

Homens com AIDS devem usar camisinha para sempre

Verdade! Pessoas vivendo com HIV, em uso regular de medicamento antirretroviral e com carga viral indetectável (exame de sangue mostrando não haver vírus detectável no sangue - Indetectável = intransmissível) por pelo menos seis meses tem risco insignificante de transmitir HIV a seus parceiros e parcerias sexuais. 

Beijar na boca não transmite o vírus 

Verdade! O contato entre a saliva não tem capacidade de transmitir o vírus do HIV, por isso, os beijos estão liberados. Porém, é recomendado evitá-los quando houver alguma ferida na boca. Vale lembrar que outras IST, como a sífilis, podem ser transmitidas por esta via. 

O sexo oral não transmite o HIV

Mito! Muitas pessoas acreditam que ausência do vírus na saliva também dá aval para a prática do sexo oral desprotegido, mas, a carga viral é presente até mesmo no início do ato, por meio do líquido lubrificante expelido dos órgãos genitais. A prevenção, portanto, também é obrigatória neste caso, quando o(a) parceiro(a) tem HIV e carga viral detectável ou se o status HIV é desconhecido.

Os resultados dos exames de AIDS são totalmente confiáveis

Mito! A veracidade dessa afirmação depende muito do período em que o paciente foi exposto ao HIV e realizou o exame! 
 
Os anticorpos anti-HIV 1 e 2 podem levar algumas semanas para serem detectados no organismo de alguém infectado, por isso, um exame imediato muitas vezes pode ser falsamente negativo.

HIV é sinônimo de AIDS

Mito! Esse é um erro comum entre os leigos, mas ter o vírus HIV não quer dizer estar com AIDS.
 
A patologia só é caracterizada quando o sistema imunológico está, de fato, enfraquecido, o que pode levar mais de uma década em determinados pacientes.
 
Felizmente, os avanços médicos na área quebraram grande parte dos problemas e dos tabus que rondam a doença.
 
Cada vez mais, os pacientes que sofrem com ela podem ter vidas normais, desde que o tratamento adequado seja mantido e informações valiosas como essas continuem sendo divulgadas.