Fique atento aos sintomas da miocardiopatia

Uma das causas mais comuns de insuficiência cardíaca (quando o coração não consegue mais bombear sangue suficiente para o resto do corpo) é a miocardiopatia, doença que causa alterações no músculo cardíaco e impede o coração, parcial ou totalmente, de funcionar corretamente. Existem três tipos de miocardiopatia: dilatada, hipertrófica e restritiva.

A miocardiopatia dilatada atinge anualmente entre 2 a 8 indivíduos a cada 100 mil nos EUA e Europa, podendo acometer todas as faixas etárias. Nela, o músculo cardíaco aumenta excessivamente de tamanho e as fibras musculares se estiram, fazendo com que o coração perca a força necessária para bombear sangue e suprir as necessidades metabólicas do organismo.

Os pacientes que sofrem com esta doença podem ter sintomas como falta de ar, inchaço nas pernas, dor no peito, dificuldade para dormir, vertigens, fadiga exagerada e palpitação.

Além da insuficiência cardíaca, consequências como arritmias e formação de coágulos sanguíneos, comprometem de forma significativa a sobrevida e a qualidade de vida.

Em muitos casos, a doença é causada por fatores genéticos e hereditários, mas também pode ocorrer por defeitos congênitos, doenças autoimunes, doenças endocrinológicas, drogas, álcool, doença isquêmica e infecções de vírus ou bactérias. No Brasil, a Doença de Chagas é causa frequente de agressão ao músculo do coração.

As formas tratamento vão desde o medicamentoso, implantação de dispositivos eletrônicos como marcapasso cardíaco (ressincronização) até necessidade de suporte circulatório mecânico (coração artificial) ou transplante cardíaco nos casos refratários. O diagnóstico precoce, porém, é fundamental para aumentar a possibilidade de cura e para que o paciente não tenha uma evolução desfavorável.

Vale o alerta: se sentir dores no peito ou outros sintomas relatados acima, não deixe de procurar o seu médico.

Dr. Marcelo Paiva, cardiologista do Núcleo de Cardiologia do Hospital 9 de Julho