Nesse post você entenderá um pouco mais sobre o tratamento e exames que ajudam a aliviar ou mesmo eliminar dores que nos afetam no dia a dia, como cefaleias e lombalgias

Em geral, após o diagnóstico, o tratamento pode ser por meio de medicação, terapia ou intervenção cirúrgica. Cada paciente pode ter uma abordagem terapêutica diferente já que são muitas as opções além da medicação.

Há relatos de pacientes que aliviaram a dor por meio da prática de atividades físicas orientadas. Abaixo estão algumas modalidades que podem ser indicadas e costumam apresentar ótimos resultados:

  • Pilates

  • Natação

  • Hidroginástica

  • Reeducação Postural Global (RPG)

  • Quiropraxia

  • Massoterapia

  • Acupuntura

Mais do que um tratamento, terapias bem orientadas e a prática de exercícios físicos podem, inclusive, ajudar a prevenir quadros futuros de dor.

Equipe multiprofissional

Há casos de dor que demandam a atenção de uma equipe multiprofissioanal, ou seja, atendimento de neurocirurgiões, anestesistas, fisiatras, neurologistas, cirurgiões bucomaxilofaciais entre outros, que apoiam o diagnóstico e acompanhamento do paciente. 

Além da avaliação clínica, exames de imagem como raios-x com dinâmica, tomografia e ressonância magnética podem trazer subsídios e corroborar o diagnóstico.

Além destes, é possível fazer investigações específicas sobre a resposta inflamatória e/ou neurológica do corpo. Conheça algumas opções:

  • Termometria: uma “fotografia” em infravermelho que sinaliza os pontos de dor, um método auxiliar no diagnóstico de lesões do sistema nervoso periférico, doenças metabólicas e traumáticas de origem muscular, como a fibromialgia, por exemplo.

  • Eletroneuromiografia (ENMG): utilizada no diagnóstico de alterações nos nervos periféricos dos membros superiores e inferiores decorrentes de lesões provocadas por doenças ocupacionais (LER), traumáticas e metabólicas, como o diabetes.

  • Eletroencefalografia (EEG): analisa a atividade elétrica cerebral espontânea com a utilização de eletrodos colocados sobre o couro cabeludo para diagnosticar eventuais anormalidades dessa atividade.

  • Exame de Potencial Evocado: avalia a integridade funcional das vias nervosas em toda sua extensão. É um importante método de investigação na área neurológica e neurocirúrgica.

De qualquer forma, é importante lembrar que sentir dor não é normal e as dores crônicas, que duram mais de três meses, merecem atenção. Elas têm tratamento e devem ser acompanhadas por especialistas.


Esse texto foi escrito originalmente em 2017 e atualizado.

Agendamento

Leia mais:

Dor no rosto pode ser considerada cefaleia
Lombalgia