Dor súbita em uma região específica, enxaqueca e pontadas nas costas podem ser indícios de que algo não anda bem no corpo. No Brasil, 30% da população se queixa de sentir dores como essas. Segundo o Dr. Claudio Corrêa, neurocirurgião e coordenador do nosso Centro de Dor e Neurocirurgia, em 80% dos casos, sentir dor é um dos fatores cruciais para as pessoas procurarem um médico, mas, uma vez diagnosticados, nem todos mantêm o tratamento.

O especialista informa que o paciente procura o atendimento médico para um tratamento imediato. “Muitos buscam tratar a dor com urgência, mas não o fazem com um especialista em dor. Quando isso, enfim, acontece, muitas vezes, o problema já está  em estágios mais graves que impedem o paciente de ter uma vida social ativa” reforça o Dr. Corrêa.
 
Para ajudar a entender as principais dores crônicas que atingem os brasileiros, listamos as principais dores, como entender cada uma delas e procurar ajuda. Veja:

Dores de cabeça (Cefaleia): 
Uma das queixas mais comuns são as cefaleias. O Dr. Corrêa explica que estudos revelam a prevalência de 78% das cefaleias por tensão e de 16% de enxaqueca dentre todas as queixas de dor na cabeça. “A enxaqueca pode ser mais forte que a cefaleia comum, e é caracterizada por episódios frequentes, a maioria dos casos em mulheres”.  O diagnóstico e tratamento devem ser feitos por médicos especialistas em dor que vão cruzar o histórico familiar com exames físicos, tomografia, ressonância e eletroencefalograma para descartar alguma eventual origem mais grave da dor como aneurismas ou tumores.

Dores na face:
A dor na face está entre as mais fortes que o organismo pode sentir, principalmente a neuralgia do trigêmeo, que é incapacitante, porém de diagnóstico complexo. Entre os sintomas estão as fisgadas e choques em um lado do rosto. Outros tipos incluem a dor facial atípica e tumores da fase.

Dores musculares:
É comum e pode envolver mais de um músculo. Pode também ser relacionada com algum trauma nos ligamentos, tendões e fáscias, os tecidos moles que conectam os músculos e ossos. A causa mais frequente é relacionada à tensão ou lesão muscular por exercício ou trabalho fisicamente desgastante. Nessas ocorrências, a dor tende a envolver músculos específicos e começa durante ou logo após uma atividade. Na maioria das vezes, é fácil reconhecer a causa. No entanto, em alguns casos, o exercício ou postura que desencadeiam nem sempre são reconhecidos. Pode ser incapacitante, requerendo tratamento medicamentoso (analgésicos anti-inflamatórios, esteroidais, miorrelaxantes e analgésicos puros) e tratamento fisioterápico. 
 
Dores nas costas:
Normalmente, é um sintoma que pode ser desencadeado por diversas doenças, como alterações degenerativas das vértebras, discos intervertebrais, ligamentos, músculos, compressões nervosas, tumores ou traumas com fraturas. Geralmente, está relacionada a problemas originados por esforço excessivo, estresse, má postura e músculos contraídos que nunca relaxam. Por essas razões o histórico, o exame físico e a realização de exames complementares como tomografias e ultrassonografia são frequentemente necessários para identificar a causa da dor.
 
O Dr. Corrêa esclarece que sentir dor não deve ser encarado como normal e a procura por atendimento especializado deve ser a primeira atitude do paciente. “Toda a dor tem uma razão para existir. É um sinal de que o corpo não está respondendo bem a alguma coisa e é preciso investigar antes que a dor se torne insuportável, ou de difícil tratamento” finaliza o médico.

Assista  o vídeo do Dr. Corrêa sobre o tema:
 



Se sentir algum desses sintomas recomendamos que procure um médico.