Chocolates, bolos, doces. Para muita gente, a vida sem a ingestão de açúcar pode ser um pesadelo. No caso de quem tem predisposição genética ao diabetes e precisa moderar o consumo desses alimentos, isso ganha contornos dramáticos. Afinal, comidas simples como arroz, pães e massas também são ricas em carboidratos, ou seja, transformam-se em açúcar no sangue e podem causar sérios danos.

Esse cuidado, porém, não precisa ser tão pesaroso. É possível consumir açúcar e carboidratos, tanto para o diabético quanto para quem está de dieta. Basta que isso seja feito na medida certa, com moderação.

Quem afirma isso é a Dra. Roberta Villas Boas, endocrinologista do Hospital 9 de Julho. "Não é só o açúcar que desencadeia o diabetes em pessoas com predisposição genética, mas também a obesidade e o consumo exagerado de carboidratos simples (como pães, arroz e batatas), que são convertidos em glicose".

O vilão, portanto, é o exagero. Carboidratos simples são absorvidos rapidamente pelo organismo, elevando os níveis de glicose no sangue, que se traduzem em um quadro de hiperglicemia. A saída é consumir açúcar e carboidratos em porções controladas.

As associações norte-americana e europeia de diabetes recomendam que a ingestão de carboidratos seja de, no máximo, 10% do valor energético total consumido. Considerando uma dieta diária de 2 mil calorias, o ideal é ingerir no máximo três colheres de sopa por dia. Isso equivale a 60g por refeição, ou duas colheres de sopa de arroz e uma porção de batata frita, aproximadamente.

É importante destacar que essa recomendação só é válida para quem segue corretamente o tratamento da doença. O Hospital 9 de Julho conta com uma experiente equipe de endocrinologistas e nutricionistas. Portanto, para qualquer dúvida, consulte-os. E não deixe de seguir sempre a recomendação de seu médico.