Quem gosta de fazer exames, não é mesmo? É exatamente por causa desse tipo de raciocínio que o Dia Nacional da Mamografia foi criado. Assim, mais mulheres podem ser impactadas sobre a importância do diagnóstico precoce, já que o exame identifica câncer de mama, cujos tumores estão entre os mais prevalentes entre as mulheres. Quando a doença é detectada em estágio inicial as chances de cura giram em torno de 90%, segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM).

No Brasil, o Ministério da Saúde recomenda a realização do exame a partir dos 40 anos uma vez por ano, ou antes se houver casos de câncer de mama na família. Em países desenvolvidos, entretanto, a recomendação começa a partir de 35 anos.

A mamografia é o único exame de imagem que diminui mortalidade pelo Câncer de mama, identificando nódulos, assimetrias e principalmente microcalcificações, que não são perceptíveis e palpáveis. Estudos mostram que essa é a melhor maneira de detectar possíveis tumores e deve ser realizado uma vez por ano.

O novo mamógrafo do H9J

Por aqui, a nova mamografia, oferece mais qualidade no resultado, isso acontece graças à evolução tecnológica que permite a captação de imagens em alta definição com 30% a menos de radiação. Isso é importante para melhorar a experiência da paciente durante a captação das imagens. “As mulheres precisam entender que esse exame pode salvar vidas. Câncer de mama tem tratamento e é preciso levar o rastreamento da doença a sério para combatê-lo”, finaliza o Dr. Evandro Fallacci, mastologista da Clínica da Mulher do Hospital 9 de Julho.
novo mamógrafo.jpg novo mamógrafo 2.jpg
Fotos: Beto Assem