​O Hospital 9 de Julho passou a oferecer mais uma opção minimamente invasiva para o tratamento de tumores na próstata: o Hifu, que é uma ultrassonografia de alta densidade. Por meio dela, ondas de calor destroem focos específicos da doença dentro da próstata, preservando parte da função e minimizando os riscos de incontinência urinária e impotência.

Poucas instituições no Brasil já atuam com essa tecnologia, bastante recente. A principal indicação é para pacientes com câncer de próstata inicial confinado, segundo o Dr. Rafael Coelho, onco-urologista e cirurgião robótico responsável pela implantação do Hifu no hospital. “Esses são os melhores candidatos”.

Como funciona?

Esse é um procedimento que precisa de anestesia geral e, por isso, é realizado em centro cirúrgico ou em um ambiente específico para radiologia intervencionista. O cirurgião define as regiões da próstata que serão tratadas a partir do resultado de uma Ressonância Magnética realizada antes do tratamento. Em seguida, passa a emitir as ondas de calor, portanto, apenas no tumor. A técnica preserva, portanto, áreas saudáveis como as responsáveis pela continência e funções sexuais.

Com o Hifu, há a vantagem de uma abordagem cirúrgica de menor porte, sem a necessidade de internação (alta no mesmo dia) e a prevenção de sequelas.

Para qual tipo de câncer de próstata? 

Em geral, essa é uma opção terapêutica utilizada na neutralização do câncer de próstata localizado e em fase inicial. “O câncer de próstata tem amplo espectro de tratamento, que pode incluir também a cirurgia robótica, radioterapia ou bloqueio hormonal. É fundamental procurar um especialista com experiência nas técnicas disponíveis para avaliar a melhor forma de tratamento”, explica o médico.

Evolução

Segundo o cirurgião, a Medicina está evoluindo para que cada vez mais seja possível realizar tratamentos personalizados e com menor impacto na qualidade de vida dos pacientes. “O Hifu não é um tratamento para todos os pacientes. A terapia focal deve ser utilizada principalmente em tumores iniciais ou nos tumores de agressividade intermediária restritos à próstata e com apenas um foco principal de doença”.

A Ressonância Magnética também tem papel importante no uso do Hifu. Com ela, o cirurgião checa os focos de câncer na próstata e, em vez de remover a glândula completa, destrói apenas os locais com o tumor. Assim, parte da próstata é preservada o que ajuda a minimizar o risco de efeitos colaterais como a incontinência urinária e a disfunção erétil. Segundo o médico, o método é parecido com o que é feito em outros órgãos, como o rim, fígado e o pulmão onde se tiram apenas nódulos, preservando os tecidos saudáveis.

Centro Formador 

Com esta aquisição, o H9J se torna centro de referência e formação profissional para esta nova tecnologia; profissionais do mundo inteiro devem visitar a instituição para formação avançada nesta nova tecnologia. O Dr. Rafael Coelho será o coordenador deste trabalho após treinamento avançado realizado na França.