automedicacao_riscos

Quando a gripe dá os primeiros sinais, como febre e exaustão, a primeira coisa que boa parte das pessoas faz é abrir a caixinha de remédio e tomar os analgésicos que sobraram da última vez em que ficou doente. O que muita gente não sabe é que o uso indiscriminado de medicamentos que parecem ser a salvação - principalmente analgésicos e anti-inflamatórios -, podem, na verdade, trazer riscos à saúde.

Um dos riscos da automedicação são os corticoides, hormônios sintéticos que, se não receitados por um especialista, podem, em vez de tratar um problema, causar várias outras complicações, entre elas, o choque anafilático, alergia a algum elemento do remédio que pode matar se o paciente não for atendido imediatamente. No entanto, existem ainda outros problemas que podem afetar o fígado e o estômago e trazer consequências graves ao organismo.

A hepatite medicamentosa é a inflamação do fígado, órgão responsável por metabolizar a maioria dos medicamentos. Este é outro problema grave causado pelo uso indiscriminado de medicamentos. Por ser assintomática, a doença é geralmente diagnosticada em estágio avançado, quando o único tratamento é o transplante do órgão.

Alguns anti-inflamatórios usados para combater dores e inflamações, como as usuais dores de garganta, são comuns na prateleira de remédio e fáceis de se obter em qualquer farmácia. Mas, se mal administrados, podem causar não apenas azia e gastrite, como também úlcera gástrica com sangramento do estômago - e em alguns casos, basta apenas uma dose do remédio para que isso ocorra!

Para amenizar esses efeitos colaterais, laboratórios passaram a incluir na composição dos medicamentos elementos que protegem o revestimento do estômago. Em alguns casos, o médico receita medicamentos combinados para se alcançar o mesmo efeito. Contudo, é preciso seguir a orientação médica e não tomar o remédio por um período além do recomendado.

Além de seguir as recomendações do profissional, outros cuidados são necessários ao se medicar.

- Evite tomar remédios acompanhados de leite ou outras bebidas além de água: elas podem desequilibrar o PH gástrico e agravar os sintomas da gastrite, por exemplo;

- Medicamentos da categoria “prazol”, que ajudam a combater enjoos e dores de estômago, devem ser tomados pelo menos meia hora antes de cada refeição para serem devidamente absorvidos pelo organismo e combater ou prevenir os sintomas; 

- Evite tomar medicamentos que sobraram de um tratamento anterior, mesmo que tenham sido prescritos por um médico na ocasião, pois o problema pode não ser o mesmo, apesar dos sintomas parecidos. 

Antes de recorrer à caixinha de remédios e colocar a saúde em risco, consulte sempre um médico.

Dr. José Luiz Capalbo, Coordenador do Centro de Gastroenterologia do H9J

{{cta('f0144d4e-0595-4f1d-8dc6-2be1e25f2611')}}