A medula óssea é um tecido líquido que ocupa o interior dos ossos, responsável pela produção das células do sangue e do sistema imunológico.

O transplante consiste na substituição de células doentes de medula óssea por outras, obtidas de um doador saudável.

O procedimento é indicado para pacientes com doenças do sangue como leucemia, linfomas e alguns tipos de anemia. No Brasil, estima-se que as chances de compatibilidade sejam de 1 para 100 mil, por isso o cadastramento em um banco de doadores é tão importante.

Abaixo, listamos algumas das dúvidas mais comuns que as pessoas têm sobre o assunto.

1 - O transplante de medula dói?

Não. A medula óssea do doador pode ser coletada por via óssea ou venosa. Quando coletada por via óssea, o doador é anestesiado e não sente nenhuma dor. Por via venosa ocorre apenas a punção da veia e a inserção de uma agulha ligada a um equipamento de aférese (processadora celular).

2 - Como é feito o registro do doador?

Qualquer pessoa pode se cadastrar nos hemocentros dos Estados. No momento do cadastro, o candidato a doador preenche uma ficha de identificação com dados pessoais e coleta um pouco de sangue. Esse material é analisado e cadastrado em um banco de dados. Toda vez que alguém precisa de uma medula e não possui doador na família o banco é consultado.

Caso alguma das pessoas cadastradas seja compatível ela é contatada para realizar a doação. Esse banco de dados se chama REDOME.

3 - Só quem é parente pode doar?

A chance de um parente ser compatível com o paciente é maior do que um desconhecido, mas caso ninguém na família possa ser o doador a medula pode sim vir de uma outra pessoa. Nesses casos nós acionamos o REDOME.

4 - Existe idade mínima ou máxima para a doação de medula?

Não. No entanto, jovens com menos de 18 anos precisam da autorização dos pais para realizar o procedimento. Já pessoas acima dos 60 anos são avaliadas pela equipe médica antes de serem liberadas para doação.

5 - Quantas vezes a pessoa pode doar a medula?

Não existe um limite.

6 - Depois de quanto tempo pode doar a segunda vez?

Sugerimos no mínimo quinze dias entre um procedimento e outro.

7 - De qual parte do corpo a medula é retirada?

A medula óssea normalmente é obtida por meio de punção da bacia (região das cristas ilíacas). Em alguns casos específicos ela também pode ser colhida do osso esterno ou da tíbia.

8 - Por que ela é retirada desses locais?

A medula está presente em todos os ossos. No entanto, esses são os ossos em que ela se concentra em maior quantidade no organismo.

9 - Qual o tempo de recuperação do doador? Ele pode se ausentar do trabalho?

A recuperação é rápida e alguns já retomam suas atividades normais no dia seguinte. No entanto, o Dr. Celso Massumoto, coordenador de Transplante de Medula Óssea (TMO) do Hospital 9 de Julho, recomenda três dias de repouso. A doação é prevista em lei e o doador pode se ausentar no dia da doação sem prejuízo profissional.

O Hospital 9 de Julho é uma das instituições cadastradas para realizar o transplante entre não aparentados e faz, inclusive, o transplante haploidêntico, feito quando os doadores não são totalmente compatíveis. Em 2018 o H9J realizou 52 transplantes de medula ossea, aproximadamente, um procedimento por semana.

Saiba mais sobre o procedimento e conheça a unidade de onco-hematologia do H9J.


Texto atualizado. Publicado originalmente em 29/06/2016.