Logon
Blog

Dor é principal sintoma da endometriose

Leia mais e tenha informações seguras sobre saúde.

​​​​​​​​​​O principal sintoma da Endometriose é a cólica. E é importante ficar atenta quanto à cólica incapacitante, ou seja, aquela que não permite que a mulher realize suas atividades rotineiras.​ Cerca de 10% das mulheres têm a doença. 

Outro sinal que merece atenção é a cólica progressiva que, a cada ciclo menstrual, piora. Também vale atentar para quem não tinha cólica e passa a ter ou tinha e piorou muito. Os sintomas podem aparecer na adolescência, mas geralmente se agravam após os 25 anos, na maioria dos casos. É importante também prestar atenção na dor durante as relações sexuais, a chamada dispareunia. É uma dor que a mulher sente no fundo da vagina e na pelve​.

Dificuldade para engravidar é outro sintoma 

Embora não seja uma regra - pois algumas mulheres conseguem engravidar - quem tem endometriose tem mais dificuldade para engravidar. Isso ocorre porque o endométrio, tecido que reveste o útero, quando se espalha pela cavidade abdominal, pode causar aderências em diversos tecidos e órgãos comprometendo seu funcionamento.

Um dado importante é que os sintomas não necessariamente estão ligados à gravidade da doença. Uma mulher pode ter poucas lesões e muita sensibilidade, enquanto outra pode estar com muitas lesões e não ter tanta sensibilidade.

​​Se a Endometriose for na região da bexiga a mulher pode apresentar desconforto ao urinar, especialmente no período menstrual e até apresentar sangue na urina. Nos casos em que a Endometriose se instala no intestino, a mulher pode apresentar constipação intestinal, estenose (estreitamento) do intestino, alteração no padrão da evacuação e, assim como ocorre com a bexiga, pode apresentar sangramento nas fezes no período menstrual.

​​​​​​Tipos

A Endometriose pode ser classificada em:  superficial (peritoneal), profunda infiltrativa, ovariana e extra pélvica. A forma de classificação mais utilizada, da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva é a seguinte: mínima (grau I), leve (grau II), moderada (grau III) e severa (grau IV). Um alerta importante é que, como há uma piora do quadro em cada período menstrual, a mulher deve ficar atenta se não está com sangue nas fezes, na urina ou uma dor aguda na região pélvica neste período.​

​​​​​​Diagnóstico

Para detectar lesões do endométrio são necessários exames de imagem como ultrassom, preferencialmente transvaginal e com preparo de intestino, ressonância magnética, colonoscopia, cistoscopia, exame de sangue, laparoscopia. Os exames são individualizados, dependendo da queixa da paciente.​

​​Agendamento Online​

​​​

Para marcar consult​as e exa​mes, ligue para 11 3147-9430.​

Veja mais

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Conheça o nosso Portal de Privacidade .