Logon
Pacientes e Visitantes

Núcleo de Cirrose e Transplante de Fígado

​​​​​​​​​​​O foco do Núcleo de Cirrose e Transplante de Fígado é o atendimento integral ao paciente com cirrose e todas as suas complicações, incluindo o câncer do fígado e que necessitem de transplante hepático. Atendimentos em que são necessários diferentes especialistas para aprofundamento da tomada de decisão clínica e casos complexos fazem parte da nossa rotina.O hospital está plenamente equipado com a tecnologia mais atual para oferecer tratamentos avançados e altamente especializados, disponíveis em poucos hospitais do país.

Sabemos que a busca de uma segunda opinião é uma situação cada vez mais comum na Medicina atual e tem se disseminado em decorrência da maior conscientização dos pacientes acerca do seu papel no sucesso do tratamento e do acesso praticamente ilimitado à informação pela internet. Por isso, oferecemos também consultoria especializada – Programa de Segunda Opinião para Pacientes e Médicos de todo Brasil sobre diagnósticos ou tratamentos.

Como é formada a equipe do Núcleo de Cirrose e Transplante de Fígado?

Um diferencial importante do Núcleo é o seu corpo clínico de excelência. Os cirurgiões e hepatologistas do grupo possuem grande experiência em tratamentos complexos e são amplamente reconhecidos nacional e internacionalmente por sua contribuição ao ensino e pesquisa na Universidade de São Paulo, principal centro médico-acadêmico do país.A equipe é multidisciplinar é coordenada pelo Prof. Luiz Augusto Carneiro d'Albuquerque e reúne especialistas em Cirurgia Hepatobiliar, Transplante hepático e Hepatologia.


​Conheça a equipe

Prof. Dr. Luiz Augusto Carneiro d'Albuquerque
​ É Professor Titular da Disciplina de Transplantes de Fígado e Órgãos do Aparelho Digestivo do Departamento de Gastroenterologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) desde 2008. Tem os títulos de Doutorado em Cirurgia do Aparelho Digestivo (1985), Livre-Docência em Cirurgia do Aparelho Digestivo (1997), ambos pela FMUSP.  Foi Chefe do Departamento de Gastroenterologia (2019) e atualmente é Diretor da Divisão de Transplantes de Fígado e Órgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da FMUSP.  O Professor Carneiro é responsável pelo Laboratório de Investigação Medica em Transplante de Fígado e Membro Titular do Conselho Diretor do Instituto Central e do Conselho Deliberativo do Complexo do Hospital das Clinicas e da Comissão Coordenadora do Programa de Pós Graduação na Área de Ciências em Gastroenterologia FMUSP.  Saiba mais sobre o currículo acessando: http://lattes.cnpq.br/3456781077547136

Prof. Dr. Wellington Andraus 
É Professor Livre-Docente de Transplante de Órgãos do Aparelho Digestivo pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Cursou os programas de residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia do Aparelho Digestivo no Hospital das Clínicas da FMUSP entre os anos de 1999 e 2001. Possui especialização em Cirurgia do Aparelho Digestivo (2000), Habilitação em Videocirurgia do Aparelho Digestivo (2001),  Habilitação em Cirurgia Oncológica do Aparelho Digestivo (2002) pelo Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva. Cursou ainda Fellowship em Chirurgie Hepatobiliaire (2007) pelo Hôpital Beaujon na França e em Living Donor Liver Transplantation pela Asan Medical Center, em Seul, Coreia do Sul (2008). Possui os títulos de Mestrado (2003) e Doutorado (2007) em Cirurgia do Aparelho Digestivo pela USP. O Dr. Wellington Andraus atualmente exerce o cargo de coordenador do Serviço de Transplante de Fígado do Hospital das Clínicas. É Professor Colaborador da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, do Programa de Pós-Graduação da USP e  membro das seguintes sociedades científicas na área dos transplantes: CBC (Colégio Brasileiro de Cirurgiões), CBCD (Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva), ABTO (Associação Brasileira de Transplante de Órgãos), SBC-HPB (Sociedade Brasileira de Cirurgia Hepato-Bilio-Pancreática), APEF (Associação Paulista para o Estudo do Fígado), ILTS (Internacional Liver Transplantation Society), IHPBA (International Hepato-Pancreato-Biliary Association) e  AHPBA (Americas Hepato-Pancreato-Biliar Association). Saiba mais sobre o currículo ​acessando: http://lattes.cnpq.br/6870859879978339 

​Prof. Dr. Alberto Queiroz Farias 
É Professor- Associado do Departamento de Gastroenterologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), com atuação no ensino, assistência e pesquisa médica nos níveis de graduação e pós-graduação. É especializado na área de Hepatologia, com mais de 30 anos de experiência no tratamento das doenças do fígado. Cursou Residência Médica em Clínica Médica (1991) e em Gastroenterologia (1993) e diversos cursos de especialização na FMUSP. Concluiu  Mestrado em 1997 e Doutorado em 2001,  ambos pela FMUSP. Em 2002 fez Estágio de Formação Aprofundada na Universidade de Aix-Marseille II e no Instituto Paoli-Calmette – Centro Regional da Luta contra o Câncer em Marselha, França. Em 2010 obteve o título acadêmico de Professor Livre-Docente de Gastroenterologia e Hepatologia pela USP. É especialista em Gastroenterologia pela Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG) e em  Hepatologia pela Sociedade Brasileira de  Hepatologia (SBH. Suas pesquisas e de seus alunos de pós-graduação foram premiadas em Congressos da Associação Americana para o Estudo das Doenças do Fígado, Sociedade Americana de Hematologia e da Sociedade Brasileira de Hepatologia. Em sua carreia acadêmica, destaca-se ter exercido os cargos de Coordenador Clínico da equipe de Transplante de Fígado e de Coordenador do Programa de Estágios e Residência Médica em Gastroenterologia e Hepatologia do Hospital das Clínicas da USP. Foi Presidente da Associação Paulista para o Estudo do Fígado (APEF), biênio 2015-2016, tendo participado da Comissão Organizadora de diversos eventos científicos na área. É membro titular das seguintes sociedades científicas: FBG (Federação Brasileira de Gastroenterologia), SBH (Sociedade Brasileira de  Hepatologia), APEF (Associação Paulista para o Estudo do Fígado) e AASLD (Associação Americana para o Estudo do Fígado. Atualmente é pesquisador associado à Fundação Europeia para o Estudo da Falência Hepática (EF-CLIF). Saiba mais sobre o currículo acessando: http://lattes.cnpq.br/7412435003289198

Dra. Liliana Ducatti Lopes
É médica cirurgiã de Transplantes de Fígado e Órgãos do Aparelho Digestivo. Cursou os programas de Residência Médica em Cirurgia Geral (2007) e Cirurgia do Aparelho Digestivo (2009) na Faculdade de Medicina do ABC e de Cirurgia e Transplante de Fígado e Órgãos do Aparelho Digestivo (2011) no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Entre os anos 2012 e 2013, a Dra. Liliana cursou  Fellowship em transplante de fígado no Serviço de Transplantes da Université Catholic de Louvain, Bruxelas, na Bélgica. Tem o título de Doutorado concluído em Ciências em Gastroenterologia pela FMUSP. Atualmente é médica assistente na Divisão de Transplantes de Órgãos do Aparelho Digestivo no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. 
Saiba mais sobre o currículo : http://lattes.cnpq.br/2994061299545003

Dr. Lucas Souto Nacif
É médico cirurgião de Transplantes de Fígado e Órgãos do Aparelho Digestivo. Cursou os Programas de Residência Médica em Cirurgia Geral (2009) na Universidade de Taubaté, Cirurgia do Aparelho Digestivo (2010) no Hospital da Beneficência Portuguesa de São Paulo e Cirurgia e Transplante de Fígado (2012) no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Em 2016, o Dr. Lucas cursou Fellowship em Cirurgia Hepato bilio pancreática no Hospital Clinic de Barcelona/UB. Tem os títulos de Mestrado (2013) e Doutorado (2014) em Ciências em Gastroenterologia pela USP, Post-doctoral Clinical and Research fellow  (2016) pelo Hospital Clínic Barcelona e Master in Translational Medicine-MSC pela Universidade de Barcelona, Espanha. Atualmente, é médico da Divisão de Transplante de Órgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da FMUSP e membro das seguintes sociedades científicas na área dos transplantes: CBC (Colégio Brasileiro de Cirurgiões), CBCD (Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva), ABTO (Associação Brasileira de Transplante de Órgãos), ILTS (Internacional Liver Transplantation Society), TTS (The Transplantation Society) e AHPBA (Americas Hepato-Pancreato-Biliar Association).Saiba mais sobre o currículo acessando: http://lattes.cnpq.br/9940271526986327

Dr. Rubens Macedo Arantes Junior
É médico cirurgião de Transplantes de Fígado e Órgãos do Aparelho Digestivo. Cursou os programas de residência médica em Cirurgia Geral na Prefeitura Municipal de São Paulo (2007) e  Cirurgia do Fígado e Transplantes  (2012) no Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Em 2015 cursou o programa de Fellowship em Transplante na Universidade de Oxford, Inglaterra. Atualmente, é Médico Assistente do Departamento de Transplante de Fígado e Órgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.Saiba mais sobre o currículo acessando: http://lattes.cnpq.br/6360999544343647


Dra. Luisa Leite Barros
É médica gastroenterologista. Cursou os programas de Residência Médica em Clínica Médica (2014) e em Gastroenterologia (2017) na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).  Exerceu o cargo de médica Preceptora de residentes e estagiários na Divisão de Gastroenterologia e Hepatologia do Hospital das Clínicas. Em 2020 recebeu título de Doutora em Ciências pela USP e atualmente se dedica a pesquisas conjuntas com o Hospital Cedars- Sinai em São Francisco, Estados Unidos. Saiba mais sobre o currículo acessando: http://lattes.cnpq.br/0643404049126018​


Dra. Bruna Damásio Moutinho
É médica gastroenterologista. Cursou os programas de Residência Médica em Clínica Médica (2015) na Universidade Federal de Juiz de Fora e em Gastroenterologia (2017) Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista e Hepatologia (2019) na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Exerceu o cargo de médica Preceptora de residentes e estagiários na Divisão de Gastroenterologia e Hepatologia do Hospital das Clínicas. 
Saiba mais sobre o currículo acessando: http://lattes.cnpq.br/3938492264151003




Tire suas dúvidas


​​​​​​​​Transplante de fígado com doador falecido

​O transplante com doador falecido obedece às regras definidas pelo Sistema Nacional de Transplante. A primeira etapa é avaliar se o candidato preenche os critérios para realização da cirurgia, seguida pela inscrição na lista de espera da Secretaria Estadual de Saúde. A lista é organizada de acordo com gravidade da cirrose e por tipo sanguíneo. O tempo de espera é variável de alguns dias a vários meses e dependerá da pontuação de gravidade calculada pelo escore MELD, utilizado para determinar a posição de cada paciente na lista. 

A lista de espera costuma ser atualizada diariamente e o próprio paciente poderá acompanhar sua posição, aguardando a chamada em sua casa ou no próprio hospital, a depender das suas condições clínicas. Nesse período de espera, são realizadas diferentes avaliações especializadas e exames para preparar o paciente para a cirurgia e tratar as complicações que eventualmente surjam.​.

​​​​​​Transplante intervivos

​O transplante intervivos consiste em transplantar parte do fígado de uma pessoa saudável para um paciente com cirrose ou câncer de fígado. O transplante intervivos oferece uma alternativa para reduzir o tempo de espera por órgão de doador falecido, reduzindo a probabilidade de agravar a condição clínica do paciente ou de surgirem complicações sérias. A etapa inicial é avaliar a saúde do potencial doador e se apresenta condições para doar. Essa avaliação é extensa e inclui entre outros critérios idade, histórico de doenças prévias, tipo sanguíneo, avaliação psicológica e tamanho do fígado. 
O objetivo é reduzir os riscos para o doador, oferecendo uma cirurgia segura.  A maioria das doações de fígado é feita por membros da família, mas doadores que não sejam parentes do paciente podem também ser avaliados, seguindo-se formalidades estabelecidas pelo sistema de transplantes.  O transplante intervivos tem bons resultados, semelhantes aos resultados do transplante com doador falecido, com a vantagem de encurtar o tempo de espera.​

​​​​​​Qual o tratamento da cirrose e suas complicações ou do câncer enquanto se aguarda o transplante de fígado?

​A cirrose é uma condição progressiva e associada ao acometimento de outros órgãos e sistemas. O paciente poderá apresentar complicações como ascite (acúmulo de líquido no abdome), icterícia (cor amarela dos olhos e mucosas), sangramentos digestivos, alterações neurológicas caracterizadas como encefalopatia hepática, que incluem sintomas como insônia, alterações de comportamento, confusão mental e coma. Poderá desenvolver câncer do fígado ou trombose abdominais. 

O acompanhamento médico, enquanto aguarda pelo transplante, é fundamental e tem como objetivo prevenir ou reduzir o impacto das complicações na qualidade de vida do paciente. Habitualmente podem ser necessários tratamentos com diuréticos, medicamentos para reduzir a pressão venosa interna (reduzir risco de sangramentos), controlar a encefalopatia, administração de anticoagulantes ou terapias para diminuir o risco de crescimento e metástases do câncer de fígado.​

​​​​​​Quais procedimentos podem ser necessários enquanto se aguarda o transplante de fígado?

​Comumente o paciente com cirrose descompensada necessitará de vários tratamentos-ponte ou de suporte. São medidas e intervenções destinadas a diminuir as complicações clínicas no período de espera pelo transplante de fígado. Os procedimentos mais comuns são:

- Paracenteses de urgência ou programadas – este procedimento consiste em puncionar com agulha e drenar o líquido ascítico que se acumula no abdome e causa desconforto, dor e dificuldade para respirar. 

- Tratamento de varizes de esôfago ou gástricas – endoscopias são indicadas para identificar a presença de varizes internas, que podem romper e provocar graves episódios de sangramento, com risco de vida. Durante a endoscopia são realizadas aplicações de ligaduras elásticas ou de cola cianoacrilato para erradicar as varizes e prevenir e tratar sangramentos.

- TIPS –  o procedimento conhecido como TIPS vem das iniciais em língua inglês da expressão Transjugular Intrahepatica Portosystemic Shunt. Trata-se da colocação de stent no interior do fígado, realizado por cateterismo venoso, com o objetivo de tratar a ascite, hidrotórax (líquido acumulado no tórax) ou sangramentos por varizes ou ainda a síndrome hepatorrenal (tipo de lesão renal que acontece na cirrose). 

- Repermeação ou desobstrução transesplênica da veia porta - casos de trombose da veias porta, que não possam ser tratados com TIPS, podem se beneficiar desse tratamento inovador e pouco disponível em outros hospitais. Usando abordagem pelo interior do baço é possível desobstruir a veia porta e colocar um stent. Esse procedimento é muito útil para preparar o paciente para o transplante de fígado e tem sido usado para diminuir as indicações de transplante combinado de fígado e intestino (multivisceral).

- Quimioembolização arterial hepática – é um procedimento que consiste realizar cateterismo de artérias que levam sangue ao tumor e injetar substâncias quimioterápicas ou partículas para obstruir a chegada de sangue. O objetivo é promover a diminuição do tumor ou controlar o seu ritmo de crescimento enquanto se aguarda o transplante. Pacientes com tumores grandes podem se beneficiar da estratégia conhecida como “downstaging” e serem aceitos na lista de transplante.

- Ablação por radiofrequência – tumores pequenos podem ser tratados com essa técnica que consiste em inserir uma agulha especial, guiada por ultrassonografia ou tomografia computadorizada, até o interior da lesão. Uma corrente elétrica de alta frequência é acionada e aquece destrói as células tumorais. 

- Troca de drenos biliares – as doenças dos grandes canais biliares podem causar estreitamento dos canais, deixando o paciente com icterícia (cor amarelada) e prurido intenso (coceira). A colocação de drenos biliares por endoscopia ou diretamento por via percutânea (entrada pela pele indo até o canal biliar) pode ajudar a controlar esses sintomas.​​.

​​​​​​​​Equipe multiprofissional é importante para o sucesso do transplante? Qual o papel dos outros especialistas?

​O atendimento a pacientes com cirrose e tumores é tarefa complexa e que requer equipes bem treinadas. Participam do atendimento ao nosso paciente, médicos de diferentes especialidades (cirurgião, hepatologista, intervencionista, infectologista, radiologista, nefrologista etc), enfermeiros, nutricionistas e psicólogos.  
A disponibilidade de todos os recursos e especialistas necessários no mesmo hospital traz comodidade ao paciente e rapidez nos atendimentos. Organizamos a programação de consultas para evitar perda de tempo. O objetivo é proporcionar ao paciente as melhores condições para restabelecer sua saúde, oferecendo tratamentos avançados e integrados.

​​​​​​A infraestrutura do hospital faz diferença nos resultados dos transplantes?

O hospital conta com a infraestrutura necessária para realizar atendimentos de alta complexidade, dispondo de equipamentos sofisticados e em constante atualização tecnológica. Essas características permitem atender a casos graves e complexos e que requerem medidas de suporte para manutenção da vida enquanto se aguarda o transplante de fígado. Essa combinação entre estrutura avançada e equipe com ampla experiência permite resultados acima da média nacional e semelhantes aos obtidos nos melhores centros especializados no exterior.​ 

​​​​​​Como posso ser atendido no Núcleo de Cirrose e Transplante de Fígado?

Oferecemos consulta ambulatorial com nossos especialistas no Centro de Medicina Especializada (CME) e internação hospitalar para tratar as complicações da cirrose e para realizar o transplante. Pacientes de todos os estados do país podem se beneficiar da estrutura avançada do hospital e da experiência da equipe de especialistas. Caso deseje, podemos coordenar com seu médico a sua vinda ao Hospital.​

Agendamento Online​


​Para marcar consult​as e exa​mes, ligue para 11 3147-9430.





Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Conheça o nosso Portal de Privacidade .