Logon

Notícias

Diabetes é doença silenciosa, mas grave

16/01/2018
​​​​​​​​Cerca de 14​ milhões de pessoas no Brasil têm diabetes, segundo dados da Sociedade Brasileira de​ Diabetes. Caracterizada pelo excesso de glicose no sangue, a chamada hiperglicemia, o Diabetes decorre da ação inadequada da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas e responsável pela metabolização da glicose, mas também pode ocorrer quando não há produção dele pelo organismo. Quando não tratada, a doença pode causar cegueira ou doença renal crônica. A doença é diagnosticada por meio de exames de sangue.

Há dois tipos de diabetes.  No Tipo 1 a produção de insulina pelo pâncreas é praticamente nula e ocorre principalmente em crianças e adultos jovens. O Tipo 2, mais comum em adultos,  está associado ao sobrepeso. "Nesses pacientes o excesso de gordura corporal atrapalha a ação da insulina resultando, com o passar dos anos, em hiperglicemia", afirma a Dra. Roberta Frota Villas Boas, endocrinologista do Centro de Rim e Diabetes​ do Hospital 9 de Julho.

No Diabetes Tipo 2, porém, há um agravante. Durante anos a pessoa pode não apresentar sintomas e, com isso, não procurar o tratamento adequado. A falta de tratamento faz com que a doença evolua com complicações, tanto no Tipo 1 quanto no Tipo 2.  Isso ocorre porque causa alterações funcionais e estruturais ao longo do tempo tanto nos vasos responsáveis pela macro quanto os que fazem a microcirculação. Entre as complicações de diabetes, as mais importantes são a retinopatia (deterioração dos vasos da retina), a nefropatia (redução da função dos rins) e a neuropatia (danos nos nervos que afeta extremidades como pés, pernas, mãos e braços).

Prevenção

Para evitar as complicações do Diabetes, é preciso seguir as recomendações médicas e manter um estilo de vida saudável. Prática de exercícios físicos, controle da dieta, realização do autoexame para medição da glicose, evitar o consumo de álcool e cigarro são alguns cuidados. São recomendados também cuidados especiais com os olhos e com a saúde bucal. 
Icones medicos

"As células da córnea da pessoa com diabetes têm algumas diferenças com relação a dos outros pacientes, o que torna os olhos portas de entrada para várias infecções e doenças como glaucoma e catarata", afirma a Dra. Roberta Frota Villas Boas.

​ "No caso da saúde bucal também é importante ter um acompanhamento periódico com o dentista porque o sangue do diabético, com alta concentração de glicose​, é mais propício ao desenvolvimento de bactérias. Como a boca é a via de entrada dos alimentos, por ali passam vários corpos estranhos que, junto com o resto de comida, favorecem a proliferação de bactérias", completa.

 

Veja também

Rua Peixoto Gomide, 545 - Fone: (11) 3147-9999
Cerqueira César - São Paulo - SP - CEP 01409-902
2017 © Todos os direitos reservados
Feito com pela Mult-Connect