Logon

Notícias

Alimentação saudável e exercícios na infância

14/09/2018

Dados divulgados nesse ano pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) revelam que 7,3% da população de 0 a 5 anos está acima do peso no Brasil. A obesidade infantil preocupa e pode ser explicada de uma maneira muito simples: a qualidade da alimentação caiu e as crianças e os adultos estão cada vez mais sedentários.


​​No Brasil, a alimentação baseada na combinação perfeita "arroz com feijão", proteína animal e vegetais está sendo deixada de lado e substituída por lanches e comida pronta, industrializada, ultraprocessada.

A grande diferença entre o prato típico dos brasileiros e a comida pronta do supermercado e dos fast foods, é que o arroz e feijão é "comida de verdade". Já bolos, biscoitos, bolachas, sorvetes etc. não são, conforme alerta a nutricionista clínica do Hospital 9 de Julho,  Érica Fernanda G. O. Silva.


Crianças devem consumir todos os tipos de alimentos que tenham grande valor nutricional. Não devem se preocupar com calorias, e sim com a qualidade de alimentos. Além de, se manter ativa com esportes e brincadeiras. 


icon food.png​​Introdução alimentar

É essa comida que devemos fornecer aos nossos filhos desde que há o desmame, entre os sete a onze meses, fase em que, juntamente com o aleitamento, os alimentos pastosos começam a ser introduzidos entre as mamadas. "É importante introduzir, aos poucos, todos os tipos de alimentos para que a criança conheça todas as variedades de sabores e texturas e, com isso, por volta do primeiro ano de vida, tenha uma alimentação como a dos pais, que também deve ser saudável", diz.

É essa comida que devemos fornecer aos nossos filhos desde que há o desmame, entre os sete a onze meses, fase em que, juntamente com o aleitamento, os alimentos pastosos começam a ser introduzidos entre as mamadas. "É importante introduzir, aos poucos, todos os tipos de alimentos para que a criança conheça todas as variedades de sabores e texturas e, com isso, por volta do primeiro ano de vida, tenha uma alimentação como a dos pais, que também deve ser saudável", diz.

De acordo com Érica, todos os grupos de alimentos são importantes e necessários, com exceção do açúcar, que não deve ser inserido na alimentação até os dois primeiros anos de idade. "É claro que não é proibido, mas não é necessário", afirma. Em todo o período da infância deve-se dar especial atenção às proteínas e aos carboidratos, para o crescimento; vegetais e frutas, para consumo adequado de vitaminas e minerais; e leite e derivados, para consumo de cálcio. E importante, quando mais colorido o prato, mais rico em nutrientes!​


icon cake.png​​Pode comer bolo e tomar sorvete?

De vez em quando. Os alimentos processados (modificados pela indústria, como industrializados e cheios de açúcar, por exemplo) devem ser evitados sempre que possível. Mas, em alguns casos, podem ser utilizados. Já os ultraprocessados devem ser evitados a todo custo. "Algumas vezes, as crianças são influenciadas por propagandas e alimentos de outras crianças. Não acho necessário proibir, mas elas devem ter pouco acesso a este tipo de alimento", comenta.


​​icon eat kids.pngAlimentação correta: criança saudável

Como saber se a criança está obtendo uma alimentação adequada? Muito simples: é só acompanhar a curva de crescimento. Peso e altura são uma das principais ferramentas para o acompanhamento da saúde infantil. Exames de sangue também podem identificar algumas deficiências como anemia. Mas a ausência de doenças corriqueiras, ou a presença constante destas, também podem indicar uma boa ou má nutrição. Caso, nos exames, seja detectada alguma deficiência ou ausência do consumo de algum alimento, pode ser necessária a suplementação. "Bebês até 18 a 24 meses, precisam de suplementação de vitamina D, por exemplo", diz.


icon sport kids.png​​A importância da prática de exercícios na infância

A criança ativa, que corre e brinca, fica menos tempo sentada e menos tempo em frente a televisão. Grandes responsáveis pela atual crise de obesidade infantil mundial, conforme alerta o Dr. Ricardo Munir Nahas - Médico do Esporte do Hospital 9 de Julho.

A criança aprende equilíbrio, coordenação, lateralidade, noção de espaço e cooperação através de jogos e brincadeiras. Quando ela aprende a chutar uma bola, tem que aprender a se equilibrar em uma perna e coordenação para fazer o chute ao mesmo tempo e acertar o alvo. O mesmo raciocínio pode ser usado para bater bola como no basquete, correr, saltar, andar de bicicleta, nadar e etc.

É importante que toda criança vivencie os esportes e aprenda os movimentos para ser ativa, fortalecer a musculatura do corpo e evitar doenças crônicas, como colesterol, diabetes, pressão alta e sobrepeso. Além de aprender a trabalhar em equipe, respeitar regras, fazer amizades e se divertir com os jogos. 



O exemplo da família é a melhor maneira de educar

Faça com que a alimentação e prática de exercícios seja familiar, e não somente da criança. O exemplo é sempre uma ótima forma de ensinar.  Além disso, a alimentação e as brincadeiras também são partes prazerosas da nossa vida.

Veja também

Rua Peixoto Gomide, 545 - Fone: (11) 3147-9999
Cerqueira César - São Paulo - SP - CEP 01409-902
2017 © Todos os direitos reservados
Feito com pela Mult-Connect