Logon

Notícias

Sentir dor é normal para você?

12/04/2017
​​​​​​Enxaqueca frequente, dor súbita no abdômen, ou até mesmo uma dor nas costas que não vai embora podem ser sinais de que algo não vai bem. Não sem razão, em 80% das vezes, sentir dor é um dos fatores cruciais para as pessoas procurarem um médico, segundo o Dr. Claudio Corrêa, neurocirurgião e coordenador do Centro de Dor e Neurocirurgia Funcional do Hospital 9 de Julho.

Posso tomar remédio para a dor, sem orientação? 

Mesmo se for uma cefaléia, você não deve se automedicar. "A automedicação é sempre prejudicial e poderá tornar mais difícil o tratamento se o diagnóstico correto for tardio", diz o Dr. Corrêa.

Dor aguda é igual dor crônica?

É importante diferenciar uma da outra. "Após a prática de um exercício de alto impacto sem preparo físico, por exemplo, a dor que aparece no dia seguinte é aguda e de certa forma, esperada", analisa e completa: "Quando essa dor persiste por dias há presença de formigamento, sensação de choque elétrico, espasmo muscular, pode indicar alguma alteração neurológica que deve ser investigada".

Qual a dor mais forte?

A neuralgia do trigêmeo, que afeta a região da face e é de difícil diagnóstico. Uma vez que os sintomas são orais, quase sempre o paciente procura um dentista primeiro, que nem sempre identifica a neuropatia. 

Qual a queixa mais comum de dor? 

Dor nas costas ou lombalgia e que leva pacientes com frequência para a emergência. "Contratura muscular, degeneração do disco intervertebral, problemas nos ligamentos, processos degenerativos, tumores, bem como lesões neurológicas podem piorar o quadro de dor. Em todos os casos, o tratamento dependerá do diagnóstico correto", lembra o médico.

Quais os tratamentos da dor? 

Após o diagnóstico, o tratamento pode ser por meio de medicação, terapia ou intervenção cirúrgica. Cada paciente pode ter uma abordagem terapêutica diferente. Há casos que a prática de atividades físicas, como: Pilates, natação, hidroginástica, ou terapias como a Reeducação Postural Global (RPG), quiropraxia, massoterapia, acupuntura ajudam a melhorar o quadro.

Qual médico devo procurar? 

Há casos de dor que demandam a atenção de uma equipe multidisciplinar, ou seja, atendimento de neurocirurgiões, anestesistas, fisiatras, neurologistas, cirurgiões bucomaxilofaciais entre outros. O Centro da Dor e Neurocirurgia Funcional do H9J oferece, em um mesmo espaço,  exames, consultas e opções terapêuticas.

Quais principais exames que ajudam no diagnóstico? 

Além da avaliação clínica, os exames de imagem podem trazer subsídios e corroborar com o diagnóstico como raios-x digital, , tomografia e ressonância magnética. Conheça algumas opções:

Termometria: uma "fotografia" em infravermelho que sinaliza os pontos de dor,.

Eletroneuromiografia (ENMG): utilizada no diagnóstico de alterações nos nervos periféricos dos membros superiores e inferiores .

Eletroencefalografia (EEG): analisa a atividade elétrica cerebral espontânea com a utilização de eletrodos colocados sobre o couro cabeludo para diagnosticar eventuais anormalidades dessa atividade.

Exame de Potencial Evocado: avalia a integridade funcional das vias nervosas em toda sua extensão. 

De qualquer forma, "É importante lembrar que sentir dor não é normal e as dores crônicas, que duram mais de três meses, merecem atenção. Elas têm tratamento e devem ser acompanhadas por especialistas", finaliza o Dr. Corrêa.​

Veja também

Rua Peixoto Gomide, 545 - Fone: (11) 3147-9999
Cerqueira César - São Paulo - SP - CEP 01409-902
2017 © Todos os direitos reservados
Feito com pela Mult-Connect