Contra a artrose, exercícios
Logon

Contra a artrose, exercícios

​​​​​​​​Contra a artrose, exercícios!

Além de melhorar a qualidade de vida em geral, os exercícios físicos, quando bem planejados, podem ser de grande ajuda no tratamento de várias doenças. É o caso da artrose, enfermidade caracterizada pela inflamação e degeneração das articulações e que provoca o desgaste das cartilagens. "Há dois tipos de artrose. Uma delas é a primária, que se define como uma degeneração sem causas conhecidas e que vai se agravando ao longo dos anos. A outra é a artrose pós-traumática, que surge em função de alguma cirurgia – como operação de menisco ou ligamentos, por exemplo – ou de algum trauma que a pessoa sofreu, tal como uma fratura", explica o médico do esporte do Hospital 9 de Julho Ricardo Nahas.

Segundo ele, a artrose pode estar associada a alterações mecânicas do corpo como o desalinhamento dos membros inferiores. Também pode ser desencadeada ou agravada pelo sobrepeso e a obesidade: quando fazemos uma simples caminhada, jogamos o equivalente a até duas vezes nosso peso sobre a coluna, quadril, joelhos, tornozelos e pés. "Um paciente que pesa cem quilos, por exemplo, joga um peso de até duzentos quilos sobre essas articulações. Quando a pessoa corre, esse valor chega a quatro vezes o peso corporal. Quando se faz uma atividade como saltar, esse número chega a coisa de tonelada", diz Nahas. Além do excesso de peso, doenças reumáticas e a prática errada de exercícios também são fatores de risco para o desenvolvimento da artrose.

Em geral, a patologia se instala de forma silenciosa: os sintomas só começam a se manifestar quando ela já está mais avançada. "O paciente começa a sentir desconforto, como dores. Primeiro pode surgir a condromalacia, que é o amolecimento das cartilagens, e gradativamente há uma evolução para a artrose", afirma Nahas.  O diagnóstico da doença normalmente é feito com ajuda de exames como a ressonância magnética e raio x. 

Realizar exercícios físicos de forma adequada pode atrasar ou evitar a necessidade de um tratamento cirúrgico como colocação de prótese, por exemplo. "O exercício físico é o grande contraponto ao tratamento cirúrgico, podendo ser associado ou não ao uso de medicações", explica o médico, acrescentando que a artrose não afeta apenas as cartilagens, mas também tem influência sobre ligamentos, músculos e sobre a membrana sinovial, que é o tecido que envolve as articulações.

O tipo de exercício físico a ser realizado – assim como sua intensidade, frequência e duração – deve ser prescrito pelo médico do esporte depois de uma detalhada avaliação do paciente. "Os estudos mostram que em geral os melhores tipos de exercícios são os aeróbicos combinados com atividades de resistência muscular localizada. O alongamento também tem um papel importante", diz Nahas.

Mais do que evitar a necessidade de cirurgia ou retardá-la, as atividades físicas também reduzem a dor e melhoram a funcionalidade das articulações atingidas. "Um bom programa de exercícios pode ser benéfico inclusive para pacientes que já sofreram fratura em volta da articulação onde se manifesta a artrose", diz o médico.


Para marcar consult​as e exa​mes, ligue para 11 3147-9430.
Rua Peixoto Gomide, 545 - Fone: (11) 3147-9999
Cerqueira César - São Paulo - SP - CEP 01409-902
2017 © Todos os direitos reservados
Feito com pela Mult-Connect